Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9975
Title: Saúde e força de trabalho: um estudo sobre os trabalhadores comerciários associados ao SESC - Alagoas
Authors: TORRES, Maria Adriana Da Silva
Keywords: Trabalho;Processo de trabalho;Trabalho comerciário;Direitos;Qualidade de vida;Promoção da saúde
Issue Date: 2003
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Adriana Da Silva Torres, Maria; Virgínia Borges Amaral, Maria. Saúde e força de trabalho: um estudo sobre os trabalhadores comerciários associados ao SESC - Alagoas. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Abstract: O presente trabalho analisa o sentido de saúde para os trabalhadores comerciários de Maceió, associados ao SESC AL. Discorre sobre a concepção de saúde que fundamenta os programas desta entidade e identifica os fatores que influenciam o sentido de saúde deste segmento. Partimos do pressuposto de que a força de trabalhado do comerciário é tão importante quanto a de segmentos de outros setores da produção na sociedade capitalista. Neste sentido, entendemos que a saúde do trabalhador é um dos elementos que mais recebem atenção no processo de reprodução da força de trabalho. O trabalhador, atualmente mais requisitado pelo processo de reestruturação produtiva, passa a consumir mais energia física e mental no cumprimento das metas determinadas pelas empresas. Por isso, as empresas utilizam estratégias direcionadas para a conservação da saúde de seus funcionários, e encontram no SESC uma parceria para o desenvolvimento de programas específicos que atendam às necessidades do trabalhador, na tentativa de minimizar o desgaste da sua força de trabalho. Esta pesquisa, pois, analisa o sentido de saúde para o segmento de trabalhadores comerciários que sofre diretamente as mudanças do mundo atual. A partir dos dados quantitativos e qualitativos, compreende-se que as concepções sobre saúde dos trabalhadores comerciários sofrem influência de ordem social, econômica, política, cultural, ambiental, comportamental e biológica. O estudo conduziu a uma maior aproximação da realidade do trabalhador comerciário de Maceió e o resultado da pesquisa permitiu-nos visualizar a dinâmica das relações sociais que se insurge na implementação de garantir condições de trabalhos mais dignas aos comerciários. Constatou-se, ainda, a necessidade de investimentos em programas de promoção de melhorias de bem-estar no atendimento às necessidades básicas deste segmento
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9975
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo9297_1.pdf465.39 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.