Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9569
Título: 210Pb em urina de habitantes de áreas com anomalias radioativas naturais no estado de Pernambuco.
Autor(es): COSTA JUNIOR, Carlos Eduardo de Oliveira
Palavras-chave: Biomonitoração humana.; Radioatividade natural; Resina trocadora de íons
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Eduardo de Oliveira Costa Junior, Carlos; Borges da Silva, Edvane. 210Pb em urina de habitantes de áreas com anomalias radioativas naturais no estado de Pernambuco.. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Energéticas e Nucleares, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: A exposição do homem a radioatividade natural tem sido objeto de excessivos estudos, principalmente em áreas consideradas anômalas, onde se detectam altos níveis de radioatividade natural. O 210Pb, descendente da série natural do decaimento do 238U, encontrase presente em vários compartimentos do ecossistema e contribui significativamente para exposição do homem à radiação natural. Quando ingerido pode induzir várias doenças, inclusive, o câncer. Estudos realizados no estado de Pernambuco determinaram concentrações elevadas de 210Pb em amostras de água e alimentos. Entretanto, a análise de risco devido à ingestão de 210Pb pela população pernambucana, foi realizada considerando apenas a estimativa da dose de radiação, não sendo realizado nenhum estudo de biomonitoração do 210Pb. Sendo assim, o objetivo do presente trabalho foi determinar as concentrações de 210Pb em urina de habitantes das regiões de elevada radiação natural em Pernambuco, a saber, os municípios de Pedra e Venturosa e a região Urano-fosfática. Para tanto, foram utilizadas amostras de urina de 30 indivíduos saudáveis e não fumantes. Para determinar o 210Pb, utilizou-se a técnica da resina trocadora de íons. Nesse caso, o 210Pb foi precipitado na forma de PbCrO4. As contagens beta do 210Pb foram realizadas num detector Canberra Tennelec S5E, com limite de detecção de 50 mBq. As concentrações de 210Pb nas amostras de urina dos habitantes de Pedra e Venturosa variaram de 65 a 267 mBq/L. Já para os habitantes da região Urano-fosfática foram determinadas concentrações variando de 62 a 440 mBq/L, enquanto que, para os residentes da região controle os valores obtidos variaram de 82 a 712 mBq/L. Os resultados obtidos indicam que todos os indivíduos avaliados apresentaram níveis de contaminação crônica com 210Pb
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9569
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2983_1.pdf3,8 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.