Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8942
Title: Metodologia cinética em fluxo não interrompido: determinação de dopamina em fármacos
Authors: de Castro Rodrigues Junior, Luiz
Keywords: Dopamina; Metodologia cinética; Fármacos
Issue Date: 2004
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: de Castro Rodrigues Junior, Luiz; Saldanha Honorato, Ricardo. Metodologia cinética em fluxo não interrompido: determinação de dopamina em fármacos. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Química, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Abstract: Um novo método cinético de análise por injeção em fluxo para a determinação de fármacos foi desenvolvido. Este método baseia-se na medida do sinal em posições equivalentes (em torno do máximo) do gradiente de concentração da amostra, sem a necessidade de interromper o fluxo transportador, requerendo um menor grau de automação. A estratégia de calibração do gradiente de concentração em Análise por Injeção em Fluxo foi utilizada. Um planejamento fatorial 24 foi realizado a fim de planejar as condições experimentais. Quatro variáveis do sistema (fatores) foram estudadas e os efeitos foram interpretados para seis respostas: sensibilidade, coeficiente de regressão linear, desvio padrão relativo dos resultados, magnitude da faixa dinâmica de concentração, limite de quantificação e tempo para medida. Para definir a melhor condição, as seis respostas foram consideradas, utilizando a função desejabilidade. Ao analisar as amostras de dopamina injetável, observou-se que estas apresentaram efeito de matriz. Fez-se, então, necessária a utilização do método de adição do analito, que foi implementado utilizando a estratégia de zonas coalescentes ( merging zones ) com posterior amostragem da zona dispersa ( zone sampling ). A condição ideal, definida pela função desejabilidade, foi mantida. Foram analisadas amostras de três diferentes fabricantes, apresentando um erro relativo médio de 3,3%, com relação ao método recomendado pela farmacopéia Americana. A estimativa do desvio padrão encontrado para quinze repetições foi de 0,0033 g L-1. Ainda, foi atingida uma freqüência analítica de 48 injeções por hora, bem maior que no método padrão (HPLC), em torno de 3 determinações por hora
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8942
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Química

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo9360_1.pdf922.27 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.