Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8781
Title: Extração e caracterização de pectinas por método químico, inflavermelho e HPLC - ELSD
Authors: BARBOZA, Marianne de Lima
Keywords: Pectinas;Frutas;Extração;Caracterização estrutural;Infravermelho;ELSD;Coluna Hiplex
Issue Date: 31-Jan-2011
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: de Lima Barboza, Marianne; Almiro da Paixão, José. Extração e caracterização de pectinas por método químico, inflavermelho e HPLC - ELSD. 2011. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Abstract: Este trabalho consiste numa abordagem metodológica de caracterização visando a viabilização de fontes naturais de pectina. Utilizou-se o mesocarpo da melancia (e demais frutos tropicais) como fonte de pectinas para demonstrar a caracterização estrutural por distintos métodos analíticos, considerando desde a etapa de extração até a caracterização estrutural. Foi avaliado o potencial do ácido cítrico e do HCl, em diferentes forças, em temperaturas distintas sobre o rendimento de extração (%) e o grau de metoxilação GM (%). Verificou-se também a influência da cadeia carbônica do álcool durante a precipitação de pectinas isoladas. Os métodos de caracterização estrutural de pectinas (padrões e extraídas de diversas frutas) foram o titulométrico, infravermelho e HPLC acoplado a detecção pelo espalhamento de luz (ELSD). A determinação do GM por infravermelho (IV) foi obtida a partir dos valores de absorbância das bandas 1750 cm-1 e 1650 cm-1. Para determinação por HPLC foram avaliadas as fases estacionárias (ODS-2 e Hiplex) e fases móveis diferenciadas para otimizar a separação e detecção. As melhores condições foram ajustadas ao uso da fase estacionária Hiplex em fase móvel H2SO4 50 mM. As condições de desesterificação dos padrões comerciais de pectinas foram ajustadas variando a força do NaOH, de 0,1 a 3,6 M e tempo de reação (5 min 360 min), exploradas em ensaios multifatoriais. Obteve-se maior rendimento de extração de pectinas (3,38%) e maior GM (76,21%) utilizando o acido cítrico, enquanto que o HCl produziu efeito desmetoxilante. A fase móvel H2SO4 50mM associada a coluna Hiplex fast acid mostraram-se eficazes na separação e detecção do metanol e ácido acético da pectina por HPLC-ELSD. A otimização do procedimento de desesterificação foi ajustada pela variável força molar minimizando a desmetoxilação entre 1,5-2.0 M (p≤0,02) requerendo em tempo de reação de 5-60 min. As condições ideais para tratar padrões comerciais quando asseguradas estatisticamente procedeu-se a curva extraída (N=7) para estudos de regressão e assim repassada para quantificação dos parâmetros estruturais em amostras de pectinas de frutas. As avaliações foram procedidas pelo método de padronização interna e externa que exibiram R2 superior a 0,92. Enquanto para as amostras de pectinas de frutas tropicais o R2 em torno de 0,75, independente do sistema de quantificação
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8781
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo6684_1.pdf1.5 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.