Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7240
Title: Deslocamentos Armoriais: da afirmação épica do popular na Nação Castanha de Ariano Suassuna ao corpohistória do Grupo Grial
Authors: Marques, Roberta Ramos
Keywords: estudos culturais; literatura; armorial; dança; corpo; identidade
Issue Date: 31-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Ramos Marques, Roberta; Adolfo Cordiviola, Alfredo. Deslocamentos Armoriais: da afirmação épica do popular na Nação Castanha de Ariano Suassuna ao corpohistória do Grupo Grial. 2008. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Abstract: O Movimento Armorial tem tido, antes e a partir de sua oficialização (1970), os mais variados resultados estéticos nos diversos campos artísticos. Porém, o conjunto mais significativo de formulações teóricas a seu respeito esteve sempre a cargo de seu criador e maior incentivador, Ariano Suassuna. Este escritor construiu até hoje uma trajetória como artista, professor, teórico e gestor cultural, coerente com os princípios armoriais e com a sua interpretação da cultura brasileira, identificada como uma Nação Castanha . Nosso objetivo, neste trabalho, é discutir, por um lado, a complementaridade entre discurso e obra de Ariano Suassuna quanto à afirmação épica das identidades populares (Canclini, 2005) subjacente à Nação Castanha . E, por outro, de que forma essa afirmação é retomada e reforçada nas experiências de dança armorial desde a década de 1970; mas também reformulada pelo conjunto da trajetória do Grupo Grial (existente desde 1997 e atuante até hoje), através da noção de corpo‐história (Louppe, 2004), implicado em todo o percurso do grupo e levado como questão para seus últimos espetáculos. Consideramos, na nossa discussão, variados depoimentos, artigos, entrevistas de Ariano Suassuna, mas em especial seu romance armorial brasileiro , A Pedra do Reino (1971), e sua tese de livre docência, A Onça Castanha e a Ilha Brasil (1976). No âmbito da dança, discutimos as várias tentativas de realizar uma dança armorial desde a década de 1970, sobretudo os investimentos no Balé Armorial do Nordeste e no Balé Popular do Recife; mas focalizamos nossa atenção no trabalho do Grupo Grial, especialmente em três espetáculos representativos das suas diferentes fases: A Demanda do Graal Dançado (1998); As Visagens de Quaderna ao Sol do Reino Encoberto (2000); e Ilha Brasil Vertigem (2006)
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7240
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Teoria da Literatura

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo3702_1.pdf1.66 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.