Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7134
Title: Avaliação da resposta cronotrópica em portadores de síncope submetidos ao teste de inclinação ortostática
Authors: PARENTE, Giordano Bruno de Oliveira
Keywords: Teste de Inclinação; Portadores de Sincope
Issue Date: 2004
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Bruno de Oliveira Parente, Giordano; Guimarães Victor, Edgar. Avaliação da resposta cronotrópica em portadores de síncope submetidos ao teste de inclinação ortostática. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Abstract: Na síncope vasovagal, causa mais freqüente de síncope, não há exame complementar padrão-ouro para confirmação diagnóstica. O teste de inclinação (T.I.), método atualmente utilizado para este fim, possui sensibilidade aquém da ideal, o que leva a utilização de técnicas de sensibilização farmacológica durante a prova ortostática, necessária em muitos pacientes. A maior ativação simpática dos pacientes vasovagais, medida por um maior incremento da FC durante o T.I. pode servir como um método adjunto na detecção de indivíduos com este distúrbio. Para este fim foi realizado um coorte retrospectivo que incluiu os portadores de síncope submetidos ao T.I., no Real Hospital Português de Pernambuco, de maio de 2002 a dezembro de 2003. Os pacientes que apresentassem T.I. negativo eram submetidos ao T.I. sensibilizado com 1,25mg de dinitrato de isossorbida SL. Os pacientes com T.I. positivo formaram o grupo 1, independente da sensibilização, os demais com testes negativos formaram o grupo 2. A análise estatística dos dados foi realizada adotando significância para p<0,05 e intervalo de confiança de 95%. Dos 88 pacientes incluídos 66 (75%) era do sexo feminino, com idade de 38 + 21 anos; 39 (44,3%) formaram o grupo 2, enquanto que, das 49 respostas positivas restantes (grupo 1), 29 foram obtidas no T.I. padrão (sensibilidade do T.I. padrão para síncope vasovagal considerando o T.I. sensibilizado padrão ouro de 59,2%). O grupo 1 foi composto de indivíduos mais jovens, com maior proporção de mulheres e história de pródromos do que o grupo 2 (p<0,001; p=0,019; p<0,001 respectivamente). A FC e seu incremento, máximo e do quinto minuto, tiveram valores estatisticamente mais elevados no grupo 1 (p<0,001), permitindo através da utilização de pontos de corte obtidos das curvas ROC, estabelecer níveis de sensibilidade entre 77% e 89% e especificidade entre 76% e 87% como preditivas da resposta do T.I.. Estes resultados confirmam os achados de outros autores e, apesar de diferenças metodológicas, podem servir para acrescentar a valorização dos dados relativos ao ganho cronotrópico no T.I
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/7134
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Medicina Interna

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo7993_1.pdf999.85 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.