Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6244
Title: Corredores exclusivos de transportes coletivos: uma análise sob a ótica das políticas ambientais, a experiência Caxangá
Authors: Roberto Suliano Monteiro, Cícero
Keywords: Política ambiental; Desenvolvimento sustentável; Transporte público; Transporte coletivo; Planejamento urbano; Espaço de circulação; Sistema viário do Recife; Impacto ambiental; Poluição sonora; Pernambuco; Região Metropolitana do Recife
Issue Date: 2006
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Roberto Suliano Monteiro, Cícero; Paulette Yves Rufino Dabat, Christine. Corredores exclusivos de transportes coletivos: uma análise sob a ótica das políticas ambientais, a experiência Caxangá. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Gestão e Políticas Ambientais, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Abstract: O presente trabalho dissertativo se constitui num exercício acadêmico que tem como objetivo a pesquisa sobre o Sistema de Transportes Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife, mais especificamente no que se refere à questão dos mecanismos de priorização no Sistema Viário do Recife voltados para a circulação do modal ônibus, cuja análise se dá a partir da perspectiva das Políticas Ambientais. A crise urbana, deflagrada desde o crescimento desordenado da cidade região do Recife nas últimas cinco décadas, ensejada por dois principais fenômenos complementares, o da migração inter-regional e o do crescimento demográfico, o primeiro associado ao êxodo rural fruto da falta de políticas de fixação do homem no campo e o segundo originado da ausência de controle de natalidade, acabou por conformar uma configuração territorial cornurbada, institucionalizada como Metropolitana e hoje representada por um tecido de pequenas manchas prósperas rodeadas de uma imensa mancha tingida de pobreza e miséria. O núcleo central desse cenário, o município do Recife, que ainda exerce grande influência sobre os outros 13 municípios, servindo como pólo gerador de viagens, dispõe de 344,74 km de vias por onde circula a frota de ônibus do STPP/ RMR, dos quais, apenas 12,35 km, ou seja, 3,5% têm algum tipo de exclusividade para o referido modal, e desses destaca-se a Avenida Caxangá com 5,9 km de faixa exclusiva, aqui entendido e pesquisado como uma experiência pioneira e estratégica em face da sua importância no contexto da mobilidade dos fluxos entre a Zona Oeste, formada por Bairros da Região Politico-Administrativa 4 do Recife, os municípios de Camaragibe e São Lourenço e o Centro Expandido do Recife, principalmente, considerando que por ali trafegam diariamente 70.000 veículos, dos quais 375 são ônibus, responsáveis pelo transporte de 220.000 passageiros, enquanto àqueles primeiros transportam 105.000. A relação de consumo do espaço de circulação entre um modal e outro, a queda na demanda do sistema coletivo e a tendência para o aumento do transporte particular e as consequentes deseconomias, representadas pela poluição do ar e sonora, pela degradação do espaço construido, pelos acidentes de trânsito, são considerados aqui como desafios a serem superados por práticas e ações de gestão urbana através de intervenções no meio físico viário que visem mitigar impactos ambientais. A adoção de instrumentos de planejamento que buscam intermediar padrões de equidade, mobilidade e acessibilidade na produção do espaço urbano passam aqui, a serem avaliados como elementos de uma políticaambiental na medida em que contribui, entre outros, para criar as condições de um programa maior de DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/6244
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Gestão e Políticas Ambientais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8122_1.pdf6.46 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.