Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5548
Título: Utilização do número de clientes para formação de classe e localização dos itens em armazéns
Autor(es): Gontana, Marcele Elisa
Palavras-chave: Armazém; Cliente; Localização; Espaço; Order picking
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Elisa Gontana, Marcele; Alexandre Virgínio Cavalcante, Cristiano. Utilização do número de clientes para formação de classe e localização dos itens em armazéns. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: A armazenagem inclui todas as atividades de um ponto destinado à guarda temporária e à distribuição de materiais. Um ponto relevante na administração da armazenagem é estabelecer os parâmetros para a perfeita identificação e facilidade de localização dos itens estocados. Na literatura é apresentado o índice COI como principal índice para determinação de possíveis agregações em classes e a ordenação dos produtos armazenados. O COI é a razão entre o espaço requerido pelo produto por sua demanda. Além disso, há outros trabalhos que utilizam os custos com o uso do espaço no armazém e distância percorrida para picking os produtos como determinantes da melhor política de armazenagem dada pelo COI, em order-picking única. Então, pensando em picking em lotes, onde os lotes são compostos pelas ordens de cada cliente, e sabendo que o COI não menciona o número de clientes, foi proposto neste trabalho a utilização no número de clientes para a determinação da melhor política de armazenagem. Dois novos índices foram propostos: o CIC (razão entre o espaço requerido pelo número de clientes) e o COIC (razão do espaço requerido pela demanda vezes o número de clientes). Quatro cenários foram simulados. Em cada um destes, dois tipos de layouts (5 e 10 colunas), três níveis de diferentes produtos armazenados (10, 20 e 25) e três diferentes capacidades de picking. Concluiu-se que com a crescente preocupação do mercado em manter e conquistar novos clientes, apesar do COI ser um bom índice de atribuição de locais dos produtos em armazém, o seu uso generalizado pode gerar resultados menos satisfatórios do que a adoção de um índice que considere o número de clientes
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/5548
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Engenharia de Produção

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo609_1.pdf2,91 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.