Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4427
Título: O direito natural e a desigualdade entre os homens no pensamento de Rousseau
Autor(es): BRANCO, Esther Maria de Sá Castelo
Palavras-chave: Consciência; Autonomia moral; Desnaturação; Perfectibilidade; Desigualdade; Preservação; Bondade natural; Liberdade natural; Homem natural; Estado de natureza
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria de Sá Castelo Branco, Esther; Browne Rego, George. O direito natural e a desigualdade entre os homens no pensamento de Rousseau. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Direito, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Resumo: Pretende-se, a partir do problema da contradição conceitual entre estado de natureza e estado de sociedade, mostrar que a teoria da consciência, desenvolvida no Emílio, reflete a noção de direito natural de Rousseau e que a teoria da sociedade, apresentada no Discurso da desigualdade entre os homens, são complementares. A consciência confere unidade ao sujeito moral, relacionando-se com a idéia de liberdade e de felicidade. Assim, os princípios da consciência conferem autonomia ao indivíduo, promovendo um prolongamento das afeições primitivas no convívio social. Afirma-se o caráter individualista e pessimista da história, no pensamento de Rousseau. Está, sobretudo, no plano da ação e educacional a única condição de realização da desnaturação do Homem
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4427
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Direito

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo5590_1.pdf210,1 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.