Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4132
Título: Relação entre formas espontâneas de comunicação e desempenho ortográfico de crianças : um estudo com o dispositivo didático Jogo de comunicação por telefone
Autor(es): Eliana Matos de Figueiredo Lima, Maria
Palavras-chave: Ortografia;Notação;Desempenho ortográfico;Fatores que influenciam a aprendizagem da ortografia;Didática da língua portuguesa
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Eliana Matos de Figueiredo Lima, Maria; Gomes de Morais, Artur. Relação entre formas espontâneas de comunicação e desempenho ortográfico de crianças : um estudo com o dispositivo didático Jogo de comunicação por telefone. 2007. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: O objetivo deste estudo foi o de analisar a relação entre o conhecimento das correspondências fonográficas da norma ortográfica do português (regulares diretas e contextuais e irregulares) e as formas de comunicação (repetição da mensagem, silabação e comentários sobre a escrita) adotadas em três situações textuais (anúncio, receita de bolo e convite) inscritas numa situação didática de significação. Participaram 40 crianças, pertencentes a dois grupos socioculturais, distribuídas nas quatro séries iniciais do Ensino Fundamental, sendo 20 oriundas de uma escola pública e 20, de uma escola particular. Com quatro conjuntos de objetivos específicos, analisamos: 1) o desempenho na notação de correspondências regulares diretas, regulares contextuais e irregulares; 2) o desempenho na notação de correspondências regulares diretas, regulares contextuais e irregulares nas situações textuais (anúncio, receita de bolo e convite; 3) a produção das formas de comunicação produzidas em cada situação textual (anúncio, receita de bolo e convite); 4) a comparação do desempenho na notação das correspondências fonográficas (regulares diretas e contextuais e irregulares) com o emprego de formas de comunicação (repetição da mensagem, silabação e comentários sobre a escrita). Os sujeitos foram submetidos a uma situação didática concebida como uma comunicação a distância (jogo de faz-de-conta) que utilizou um ditado para comunicar uma mensagem. Os resultados mostram que: 1) os erros dos sujeitos quando notaram as correspondências fonográficas regulares (direta e contextual) e irregulares são erros de natureza fonológica, sendo que os erros mais cometidos foram referentes às restrições contextuais e irregulares. Indicaram que os desempenhos dos três tipos de correspondências foram mais fáceis para o grupo sociocultural da escolar particular, tendo os regulares (direta e contextual) se concentrado na 1ª série, enquanto os irregulares apresentaram uma variação decrescente entre a 1ª e a 2ª séries e entre a 3ª e a 4ª séries. O desempenho nas correspondências contextuais foi influenciado pelos fatores grupo sociocultural e escolaridade. 2) Observou-se que a variação do desempenho na notação ortográfica se deveu mais à escola pública do que a cada situação textual e que a variação do desempenho entre séries decorreu muito mais dos erros cometidos pelos alunos da escola pública do que de cada situação textual. Além disso, não foi encontrada correlação significativa entre o domínio de cada correspondência fonográfica estudada e cada situação textual. 3) Não foi encontrada relação significativa entre formas globais de comunicação e o conjunto de situações textuais, nem entre o comentário a respeito de qual letra utilizar na notação e o comentário sobre a paragrafação e as situações textuais. Exceção verificada para a pontuação que variou com o gênero textual. A relação entre produção de formas de comunicação conforme a situação textual, em função dos grupos socioculturais e de escolaridade, não foi também significativa. 4) Não houve correlação entre notação de correspondências fonográficas (regulares diretas e contextuais e irregulares) e as formas de comunicação (repetição da mensagem, silabação e comentários sobre a escrita), mas observaram-se correlações entre repetição de mensagem, silabação e comentários sobre a escrita. Em suma, firma-se a convicção de que as situações textuais não influenciaram nem a notação das correspondências ortográficas, nem as formas de comunicação, evidenciando o tipo de situação que, sendo de natureza pragmática, conduz à reflexão sobre o sentido da aprendizagem da ortografia, ao destacar em qual situação é preciso ortografar. Enfim, o ditado como uma situação de ordem do conhecimento, concernente à diversidade das tarefas cognitivas, diferentes em razão da especificidade do conhecimento ortográfico e de sua verbalização (novas situações produzidas pelos sujeitos), juntamente com os fatores grupo sociocultural, escolaridade, características das correspondências fonográficas e uso das palavras influenciaram os desempenhos infantis
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/4132
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Educação

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo5526_1.pdf2,56 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.