Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3465
Título: Estudo da atividade biológica de Ocinum campechianum Mill. e determinação de seu perfil fitoquímico
Autor(es): SOUSA, Sabrina Torres de
Palavras-chave: Ocimum campechianum Mill; Atividade antiinflamatória
Data do documento: 2004
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Torres de Sousa, Sabrina; Antonia de Souza, Ivone. Estudo da atividade biológica de Ocinum campechianum Mill. e determinação de seu perfil fitoquímico. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Resumo: Ocimum campechianum Mill. é uma erva aromática conhecida popularmente no Brasil como alfavaca de cobra . Pode ser encontrada em Pernambuco e em outras regiões do país. Na medicina popular, é bastante utilizada como analgésico, antipirético, diurético, estimulante e antigripal. Este trabalho apresenta uma investigação acerca da atividade biológica e da composição química das folhas do vegetal. Os testes para avaliação da toxicidade aguda foram realizados através da observação de efeitos gerais sugestivos de ações sobre o sistema nervoso central e periférico, a partir dos quais foi determinada a DL50 que resultou em 1017,4 mg/kg de peso do animal. Um estudo histopatológico com tecidos provenientes dos testículos dos animais, que apresentaram cianose durante os experimentos, demonstrou não haver nenhuma alteração do material analisado. As atividades antiinflamatória, antitumoral e antimicrobiana também foram investigadas, resultando em uma inibição significativa dos tumores sarcoma 180 (47,34%) e carcinoma de Ehrlich (84,86%) e acentuada redução dos edemas na 4a hora do ensaio realizado para avaliar a ação antiinflamatória. Com relação à atividade antimicrobiana, os extratos não se mostraram ativos contra Staphylococus aureus, Micrococus flavus, Escherichia coli, Enterobacter sp., Candida albicans, Candida krusei. O screening cromatográfico realizado com os extratos benzênico e metanólico das folhas permitiu detectar a presença de polifenóis (fenilpropanoglicosídeos e flavonóides), monoterpenos e sesquiterpenos, triterpenos e esteróides, eugenol e açúcares redutores bem como a ausência de cumarinas, derivados cinâmicos, iridóides, proantocianidinas e leucoantocianidinas, alcalóides, saponósidos e taninos gálicos
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3465
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciências Farmacêuticas

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo6050_1.pdf1,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.