Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/22380
Título: Daqui nós tira um ouro de chá! Umbanda, Santo Daime e xamanismo popular no tratamento religioso de patologias físicas, mentais e espirituais: o caso de um Terreiro alagoano
Autor(es): LIRA, Wagner Lins
Palavras-chave: Antropologia; Umbanda – Rituais; Santo Daime; Ayahuasca; Xamanismo; Rituais de bebida; Dependência; Substâncias psicoativas; Enteógenos; Umbandaime
Data do documento: 6-Mai-2016
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: Substâncias sacramentais vêm sendo ministradas ritualmente em meio a práticas tradicionais e populares diante do recobro da saúde, desde os tempos mais remotos com propósitos específicos, tangencialmente referentes ao tratamento e à cura de patologias de ordem física, psíquica, espiritual e também moral. Como objetivo de análise esta tese traz, antes de tudo, a problemática histórica, social e antropológica do uso, do abuso e da dependência em substâncias psicoativas, assim como as possibilidades terapêuticas “paramédicas” propiciadas pelo consumo ritualístico e contemporâneo da beberagem ayahuasca, em seus variados modelos terapêuticos e doutrinários emergentes no Brasil e no mundo. Para tal, além de revisões metodológicas, teóricas e historiográficas sobre esta temática específica, nosso texto se propende a trazer - como estudo de caso etnográfico – a análise de um Terreiro “afro-ayahuasqueiro” situado na cidade de Japaratinga; Litoral Norte do Estado de Alagoas. Aqui, demonstraremos a emergência de um novo modelo ayahuasqueiro nordestino de matriz africana, cuja cosmologia em construção permite-se ao diálogo simbólico e cultural com práticas daimistas, umbandistas e vegetalistas (atreladas ao mesmo processo mítico e ritual) frente ao acolhimento de desditosos, que afirmam terem encontrado neste Terreiro alívio para seus infortúnios, assim como também alcançaram, ou não, a cura e a transformação na condição de vida e pessoa. Observamos que os eventos e encadeamentos metamórficos sentidos por alguns atores “curados” ou “em tratamento” no território encontram-se diametralmente atrelados ao uso desta beberagem enteogênica, quando associado aos fenômenos da corporeidade, das performances rituais e metáforas de ordem religiosa, além dos eventos condizentes à sociabilidade e persuasão advindas do sentimento de pertencimento compactuado pelos atores que frequentam esta comunidade mágica e moral.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/22380
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Antropologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE WAGNER LINS LIRA.pdf5,75 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons