Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18539
Título: Os trabalhadores do conhecimento e o trabalho imaterial: as novas possibilidades de reinvenção das lutas coletivas.
Autor(es): FILHO, Carlo Benito Cosentino
Palavras-chave: Trabalho Imaterial. Trabalhadores do Conhecimento. Trabalho de Cooperação. Globalização. Revolução Informacional. Capitalismo Cognitivo. Neo-Marxismo. Marxismo Ortodoxo. Ciberativismo. Teoria Organizacional. Teoria Social Crítica. Relações Individuais e Coletivas de Trabalho.; Immaterial Labor. Knowledge Workers. Labor Cooperation. Globalization. Informational Revolution. Cognitive Capitalism. Neo-Marxism. orthodox Marxism. cyber activism. Organizational Theory. Critical Social Theory. Relations. Individual and Collective Labor.
Data do documento: 4-Ago-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Resumo: O presente estudo tem como objetivo demonstrar o poder dos trabalhadores do conhecimento e a sua capacidade de reconstruir o movimento sindical tal como em sua origem, ou seja, verdadeiramente emancipatório e contra-hegemônico. As lutas coletivas nos últimos séculos tornaram-se meramente reivindicativas, especialmente com o advento do estado do bem-estar social. A revolução informacional subverteu o paradigma capitalista fordista, e nesse cenário surgiram novos atores que protagonizam o jogo de forças entre o capital e o trabalho. A luta de classes baseada no sindicalismo de caráter obreirista não responde mais aos anseios dos trabalhadores da sociedade pós-fordista, que deverá se adaptar ao novo contexto social para reestabelecer a sua força. Para tanto, o movimento sindical deve agregar não só os trabalhadores do conhecimento, como também o proletariado, os desempregados, não empregáveis atingidos pelo desemprego estrutural, autônomos, bem como os sem teto e os sem terra, enfim, toda a classe-que-vive-do-trabalho.Demonstra também, a partir das evidências empíricas e analíticas produzidas pela Teoria Social Crítica, o impacto do desenvolvimento tecnológico nas relações individuais e coletivas de trabalho, e a ascensão do trabalho imaterial, a condição de mola propulsora da sociedade contemporânea. Para se afastar das ambivalências contidas nas propostas da doutrina clássica, aponta para o resgate do movimento sindical libertário, emancipatório e contra-hegemônico em escala supranacional, o que deve ser potencializado pelo uso das novas tecnologias da informação e comunicação.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/18539
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Direito

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CARLO BENITO Dissertação.pdf1,32 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons