Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1631
Título: Razões da fragmentação das políticas de reforma administrativa no setor público: um estudo de caso sobre a experiência recente de Pernambuco
Autor(es): Fittipaldi, Ítalo
Palavras-chave: Setor Público;Reforma Administrativa;Políticas
Data do documento: 2002
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Fittipaldi, Ítalo; da Cunha Rezende, Flávio. Razões da fragmentação das políticas de reforma administrativa no setor público: um estudo de caso sobre a experiência recente de Pernambuco. 2002. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2002.
Resumo: Esta dissertação identificou ao menos três mecanismos fragmentadores do processo de implementação de políticas de reforma administrativa no setor público. Através de um estudo de caso, o esforço de reforma no Executivo de Pernambuco entre 1999 a 2001, verificou-se que a falta de informação sobre a burocracia pública por parte dos reformadores, aliada à dependência do orçamento público de boa parte das agências de governo, e a periodicidade dos processos eleitorais, conduz a reforma administrativa ao caso clássico de falha seqüencial. Analisando o déficit informacional, a dependência do orçamento, e a aversão ao risco político, variáveis independentes denominadas aqui de mecanismos fragmentadores, à luz do modelo garbage can, percebe-se que o fenômeno da fragmentação das políticas de reforma segue o mesmo padrão de formação de anarquia organizada do modelo garbage can original
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1631
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Ciência Política

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4938_1.pdf530,15 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.