Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12325
Título: Transpiração Em Coffea Canephora: Lisimetria, Fluxo de Seiva e Balanço Hídrico
Autor(es): ALMEIDA, Carlos Alexandre Barros de
Palavras-chave: Métodos Térmicos; Pesagem Eletrônica; Armazenamento Acumulado de Água
Data do documento: 27-Jan-2012
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: ALMEIDA, Carlos Alexandre Barros de. Transpiração em Coffea Canephora: lisimetria, fluxo de seiva e balanço hídrico. Recife, 2012. 112 f. Tese (doutorado) - UFPE, Centro de Tecnologia e Geociências, Programa de Pós-graduação em Tecnologias Energéticas e Nucleares, 2012.
Resumo: O café é um importante produto na agricultura brasileira, ocupa importante posição entre os produtos de exportação, conhecer a transpiração dessa espécie é um fator decisivo na obtenção da alta produtividade. O consumo de água em uma planta de café conilon cultivado em lisímetro foi avaliado. O experimento objetivou estudar a transpiração diária do café e foi realizado no Departamento de Energia Nuclear da UFPE, em Recife – PE, em 2011, por meio de três métodos: a) lisimetria, por análise de variação de massa; b) balanço hídrico, com medidas de umidade do solo realizadas por sensores tipo TDR; e c) fluxo de seiva via método térmico do balanço de calor no caule. Para esse estudo foi realizada a montagem de um lisímetro de pesagem eletrônica, e foram realizadas as calibrações de todos os sensores envolvidos, sendo obtidos importantes resultados dessas. A demanda atmosférica foi determinada com dados obtidos em duas estações meteorológicas, uma situada próximo ao lisímetro, e a outra, distante cerca de um quilômetro, situada no pátio externo do CRCN. Também foi determinado o índice de área foliar (IAF) do cafeeiro. A área foliar variou de 1,39 a 1,87 m2 durante o experimento. O consumo de água medido através do lisímetro variou de 2,61 L a 5,16 L por dia, com média de 3,86 L por dia. Ao comparar-se o consumo de água na planta pelo balanço hídrico verificou-se uma subestimação em alguns dias e superestimação em outros dias de 10% com os resultados obtidos no lisímetro. A transpiração medida pelo fluxo de seiva via método térmico subestimou em 10% as medidas realizadas no lisímetro. Os resultados do estudo indicaram grande precisão na estimativa da transpiração do café conilon.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12325
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE Carlos Alexandre Barros de Lima.pdf2,87 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons