Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12325
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorANTONINO, Antonio Celso Dantas
dc.contributor.authorALMEIDA, Carlos Alexandre Barros de
dc.date.accessioned2015-03-13T12:18:17Z
dc.date.available2015-03-13T12:18:17Z
dc.date.issued2012-01-27
dc.identifier.citationALMEIDA, Carlos Alexandre Barros de. Transpiração em Coffea Canephora: lisimetria, fluxo de seiva e balanço hídrico. Recife, 2012. 112 f. Tese (doutorado) - UFPE, Centro de Tecnologia e Geociências, Programa de Pós-graduação em Tecnologias Energéticas e Nucleares, 2012.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/12325
dc.description.abstractO café é um importante produto na agricultura brasileira, ocupa importante posição entre os produtos de exportação, conhecer a transpiração dessa espécie é um fator decisivo na obtenção da alta produtividade. O consumo de água em uma planta de café conilon cultivado em lisímetro foi avaliado. O experimento objetivou estudar a transpiração diária do café e foi realizado no Departamento de Energia Nuclear da UFPE, em Recife – PE, em 2011, por meio de três métodos: a) lisimetria, por análise de variação de massa; b) balanço hídrico, com medidas de umidade do solo realizadas por sensores tipo TDR; e c) fluxo de seiva via método térmico do balanço de calor no caule. Para esse estudo foi realizada a montagem de um lisímetro de pesagem eletrônica, e foram realizadas as calibrações de todos os sensores envolvidos, sendo obtidos importantes resultados dessas. A demanda atmosférica foi determinada com dados obtidos em duas estações meteorológicas, uma situada próximo ao lisímetro, e a outra, distante cerca de um quilômetro, situada no pátio externo do CRCN. Também foi determinado o índice de área foliar (IAF) do cafeeiro. A área foliar variou de 1,39 a 1,87 m2 durante o experimento. O consumo de água medido através do lisímetro variou de 2,61 L a 5,16 L por dia, com média de 3,86 L por dia. Ao comparar-se o consumo de água na planta pelo balanço hídrico verificou-se uma subestimação em alguns dias e superestimação em outros dias de 10% com os resultados obtidos no lisímetro. A transpiração medida pelo fluxo de seiva via método térmico subestimou em 10% as medidas realizadas no lisímetro. Os resultados do estudo indicaram grande precisão na estimativa da transpiração do café conilon.pt_BR
dc.language.isobrpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Pernambucopt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectMétodos Térmicospt_BR
dc.subjectPesagem Eletrônicapt_BR
dc.subjectArmazenamento Acumulado de Águapt_BR
dc.titleTranspiração Em Coffea Canephora: Lisimetria, Fluxo de Seiva e Balanço Hídricopt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.contributor.advisor-coLIRA, Carlos Alberto Brayner de Oliveira
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TESE Carlos Alexandre Barros de Lima.pdf2,87 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons