Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10593
Título: Diagnóstico da poluição sonora na cidade do Recife-PE
Autor(es): ARAUJO, Karina Clementino de
Palavras-chave: Ruído; Espaço público urbano; Fontes poluidoras.
Data do documento: 31-Jan-2013
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: ARAUJO, Karina Clementino de. Diagnóstico da poluição sonora na cidade do Recife-PE. Vitória de Santo Antão, 2013. 54 f. Dissertação (mestrado) - UFPE, Centro Acadêmico de Vitória, Programa de Pós-graduação em Saúde Humana e Meio Ambiente, 2013..
Resumo: O ruído é definido como um som indesejável, desagradável que, ao alcançar níveis prejudiciais à saúde e ao sossego público, passa a ser denominado de poluição sonora. Esse tipo de degradação ambiental ocupa lugar de destaque na sociedade moderna, atingindo um grande número de pessoas. É considerada a terceira maior forma de poluição do planeta e no Brasil é um grave e crescente problema de saúde e segurança pública. O presente trabalho teve como objetivo diagnosticar os níveis sonoros do ruído urbano na cidade do Recife no período 2010 a 2012, através de levantamento quantitativo no órgão fiscalizador municipal. As denúncias comunicadas pela população e encaminhadas por outros órgãos fiscalizadores foram registradas em formulário próprio da Secretaria de Meio Ambiente e posteriormente organizadas em planilhas eletrônicas. Foram estabelecidos roteiros por RPA para fiscalização das denúncias. Para aferição do ruído, foi utilizado o decibelímetro Type 2240 devidamente calibrado, no nível sonoro equivalente (Leq), curva de ponderação “A”, com circuito de resposta rápida, microfone afastado 1,50 m dos limites da propriedade onde se dá o incômodo e à altura de 1,20m do solo, conforme determina o Código Municipal de Meio Ambiente da Cidade do Recife. Foram registradas 1.876 denúncias em 2010, 1.048 no ano 2011 e 728 em 2012. Na RPA 1 a principal fonte de ruído foi a propaganda sonora dos estabelecimentos comerciais, já para as Regionais 2 a 6 o som em alto volume advindo de bares e restaurantes se destacou. Todas as Regionais apresentaram aferições acima do limite máximo permitido na legislação municipal vigente. Mediante o descumprimento à lei foram emitidos 140 autos de Infração em 2010, 124 em 2011 e 91 em 2012. O estudo identificou quais as principais fontes geradoras de ruído em cada RPA e constatou que há descumprimento ao limite máximo permitido estabelecido na legislação.
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/10593
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Saúde Humana e Meio Ambiente

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTAÇÃO KARINA DE ARAUJO.pdf5,06 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons