Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9868
Título: Controle social e resistência: "fabricação" do cotidiano de uma instituição disciplinar para adolescentes infratores
Autor(es): Tebúrcio Cavalcante, Valmir
Palavras-chave: Sociologia; Poder; Instituição Disciplinar; Resistência; Adolescentes Infratores; Controle Social; Estratégias; Táticas
Data do documento: 2006
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Tebúrcio Cavalcante, Valmir; Veras Soares, Eliane. Controle social e resistência: "fabricação" do cotidiano de uma instituição disciplinar para adolescentes infratores. 2006. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.
Resumo: Esta dissertação tem como objetivo interpretar o cotidiano de uma instituição social que se propõe ressocializar adolescentes infratores a partir da relação entre as estratégias e táticas de controle institucional e as táticas de resistência dos adolescentes. A hipótese principal é de que mesmo em uma instituição austera como a que me refiro, que guardadas as proporções assemelha-se a uma prisão, há possibilidade de resistência. Apoiado na teoria do cotidiano de Michel de Certeau pude constatar que as relações de poder no cotidiano da instituição de que falo são fabricadas a partir do uso de estratégicas e táticas dos sujeitos pesquisados, seja por parte do grupo de controle direção e instrutores educacionais - bem como por parte do grupo controlado os adolescentes. Na coleta e análise dos dados, privilegiei os pressupostos da pesquisa qualitativa, inspirado nos recursos da etnografia. As observações foram realizadas tendo como escopo a relação entre a direção da instituição e os adolescentes, mas, sobretudo, a relação entre instrutores educacionais responsáveis pelo controle e adolescentes, por um período de seis meses. Analisamos também documentos referentes ao regimento disciplinar da instituição bem como a proposta pedagógica que norteiam as ações. Observei uma discrepância entre o discurso oficial e o que efetivamente a instituição pratica em seu cotidiano. A análise da realidade observada apontou para uma série de concessões recíprocas nas relações de poder institucional. No cotidiano da instituição em questão as relações de poder entre as estratégias e táticas de controle e as táticas de resistências são inventadas , fabricadas de diversas maneiras, corroborando assim minha hipótese inicial e refutando a idéia de um controle total, absoluto
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9868
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Sociologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo9376_1.pdf1,66 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.