Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9812
Título: Trabalho e sociabilidade em espaços rurais : os tabalhadores da fruticultura do Platô de Neópolis
Autor(es): Maria da Mota, Dalva
Palavras-chave: Trabalho e sociabilidade; tabalhadores da fruticultura
Data do documento: 2002
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria da Mota, Dalva; Salete Barbosa Cavalcanti, Josefa. Trabalho e sociabilidade em espaços rurais : os tabalhadores da fruticultura do Platô de Neópolis. 2002. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2002.
Resumo: O objetivo deste estudo é analisar a relação entre trabalho e sociabilidade no Platô de Neópolis, uma das regiões agroindustriais de produção de frutas do Nordeste brasileiro. A tese revela que os processos de produção de frutas no Platô estão estruturados em sistemas modernos de produção que se viabilizam com base nas relações que combinam elementos da estrutura anterior - trabalhadores de origem local, provenientes da agricultura familiar e participantes de redes de interconhecimento preexistentes - com modernas formas de gestão. As estratégias das empresas e dos trabalhadores influenciam na permanência dos trabalhadores oriundos da agricultura familiar nos novos espaços de produção, sendo ilustrativas da diversidade de situações vivenciadas na produção de frutas. Os procedimentos metodológicos utilizados inserem-se na abordagem qualitativa, através do acompanhamento mensal dos trabalhadores e das empresas, estudo de caso, análise de trajetórias, histórias de vida e observação de situações de trabalho e do dia-a-dia nos povoados. A pesquisa foi realizada no período de 1998 a 2002. Os dados foram analisados a luz do debate sobre o trabalho e a sociabilidade na teoria sociológica clássica e contemporânea no contexto da globalização dos sistemas agro-alimentares. As conclusões confirmam que as relações preexistentes permeiam os novos processos de produção de frutas, evidenciadas pelas relações de parentesco, vizinhança e amizade, que perpassam as esferas do trabalho e da vida local e por noções de pertencimento em torno dos povoados e da agricultura. As estratégias locais de recrutamento têm privilegiado a ocupação de trabalhadores da região reforçando as suas redes de sociabilidade. A relevância do estudo é inserir o tema do trabalho e da sociabilidade na agricultura na pauta dos debates sobre os sistemas agroalimentares, mostrando como as relações preexistentes são acionadas em modernos processos de produção e no dia-a-dia dos trabalhadores para enfrentar as dificuldades de uma sociedade em que o assalariamento regular e as condições do bem-estar, características do auge do fordismo, nada mais são que um sonho
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9812
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Sociologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo9351_1.pdf1,71 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.