Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9736
Título: Intubação endotraqueal neonatal: revisão da literatura e avaliação da técnica da entubação digital
Autor(es): MOURA, José Henrique Silva
Palavras-chave: Laringoscópio e Ressuscitação; Digital; Recém-nascido; Intubação; Neonatal
Data do documento: 2004
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Henrique Silva Moura, José; Alves Pontes da Silva, Giselia. Intubação endotraqueal neonatal: revisão da literatura e avaliação da técnica da entubação digital. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Resumo: Título: Intubação endotraqueal neonatal: revisão da literatura e avaliação da técnica da intubação digital Introdução: A ressuscitação e a intubação de recém-nascidos (RN) estão associadas a alterações fisiológicas e lesões diretas na cavidade oral. O entendimento do assunto é incompleto. Vários pontos necessitam ser definidos. Objetivos: Rever pontos da história da ressuscitação e da intubação neonatal e comparar a técnica da oro-intubação digital em RN com a oro-intubação utilizando o laringoscópio sendo avaliado o sucesso, tempo para realização do procedimento e complicações. Métodos: Realizado um artigo de revisão sobre ressuscitação e intubação neonatal a partir de informações acessadas no banco de dados da Medline utilizando os descritores intubation, newborn, neonatal, resuscitation e review. Referências cruzadas desses artigos também foram utilizadas. Foi avaliada a intubação neonatal digital em um ensaio clínico randomizado e controlado comparando a oro-intubação digital neonatal com a oro-intubação utilizando o laringoscópio . Resultados: A ressuscitação neonatal está descrita desde 1300 a.C. e a intubação neonatal há aproximadamente 250 anos. A intubação digital foi substituída pelo uso do laringoscópio porém sem evidências científicas. Foi demonstrado através do ensaio clínico, que a técnica digital foi superior à técnica com a utilização do laringoscópio, em relação ao percentual de sucessos e tempo para realizar o procedimento. Conclusão: A técnica digital foi substituída pela utilização do laringoscópio sem que houvesse evidências científicas, porém, o ensaio clínico na dissertação demonstrou superioridade da técnica digital sobre a convencional
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9736
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Saúde da Criança e do Adolescente

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8707_1.pdf1,19 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.