Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/970
Title: Morfologia de Amaryllidaceae S.S. nativas do Nordeste brasileiro
Authors: Geyson Alves Araújo, Anderson
Keywords: Amaryllidaceae;Alliaceae;Taxonomia;Anatomia Vegetal;Palinologia
Issue Date: 2007
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Geyson Alves Araújo, Anderson; Vinícius da Silva Alves, Marccus. Morfologia de Amaryllidaceae S.S. nativas do Nordeste brasileiro. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Abstract: Constituída por cerca de 60 gêneros e 850 espécies, Amaryllidaceae s.s. possui ampla distribuição geográfica. No Brasil ocorrem aproximadamente 15 gêneros e um número estimado de 150 espécies, das quais cerca de 30 nomes foram propostos como nativas da região nordeste. Visando colaborar para o conhecimento das espécies nativas da região, foi elaborado o levantamento de representantes de Amaryllidaceae s.s. e Alliaceae s.s. nordestinas, bem como também foram realizados estudos morfológicos, anatômicos e palinológicos como subsídios à sua taxonomia. Foram identificadas 23 espécies, sendo 21 representantes de Amaryllidaceae s.s. pertencentes aos gêneros Griffinia, Habranthus, Hippeastrum, Hymenocallis e Zephyranthes e duas espécies de Nothoscordum (Alliaceae s.s.). A forma das folhas e escapos, número de flores por inflorescências, posição do ovário, simetria floral e comprimento do hipanto são algumas das mais importantes características morfológicas utilizadas para o reconhecimento interespecífico. Estruturalmente, os caracteres foliares e dos escapos podem atuar como diagnósticos para a segregação de agrupamentos em nível de família, gêneros ou espécies. Laticíferos foram detectados apenas em Nothoscordum pernambucanum, enquanto que a ausência de colênquima nos escapos e presença de cavidades de ar exclusivamente esquizógenas segregam Habranthus e Zephyranthes candida, respectivamente, das demais espécies. Escapo biconvexo é um caráter exclusivo de Griffinia e Hymenocalllis. A forma da folhas, em ST, é diversa em Habranthus. Assim como, Hippeastrum puniceum distingue-se de Hip. stylosum por apresentar floema nacarado. A segregação do grupo aqui analisado através do conjunto de caracteres anatômicos pode ser mais seguramente empregada em nível genérico. Todas as espécies apresentaram grãos de pólen em mônades, heteropolar-bilaterais, monossulcados e âmbito elíptico/elipsoidal. Foram detectadas características diagnósticas com relação ao padrão de ornamentação, destacando Hippeastrum stylosum e Hymenocallis littoralis por possuirem grãos de pólen com calotas equatoriais. Os dados macro e micromorfológicos observados dentre os táxons analisados responderam, com ressalvas, à taxonomia do grupo
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/970
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4857_1.pdf1.62 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.