Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9676
Title: Diâmetro médio da cicatriz de BCG em crianças e adolescentes asmáticos
Authors: de Melo Queiroz, Rosângela
Keywords: Diâmetro Médio;Cicatriz;BCG;Crianças e Adolescentes
Issue Date: 2002
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: de Melo Queiroz, Rosângela; Wanick Sarinho, Silvia. Diâmetro médio da cicatriz de BCG em crianças e adolescentes asmáticos. 2002. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2002.
Abstract: O desequilíbrio entre células Th1 e Th2 pode ser útil em predizer o subseqüente desenvolvimento de asma. Este estudo teve como objetivo principal avaliar a existência de associação entre asma e diâmetro médio da cicatriz de BCG, e, como objetivo secundário, verificar a associação entre asma e reatividade ao teste tuberculínico. Realizou-se um estudo analítico caso-controle, onde foram selecionados crianças e adolescentes entre 6 e 14 anos. O grupo de casos (asmáticos) foi constituído por 90 indivíduos que estavam em acompanhamento no Ambulatório de Alergia e Imunologia em Pediatria do Hospital das Clínicas da UFPE ou no Ambulatório de Asma da Unidade de Pediatria Helena Moura. Apresentavam antecedente de no mínimo três episódios de dispnéia aliviados com uso de broncodilatador nos últimos doze meses ou estavam em uso de medicação profilática para asma. O outro grupo (controle) foi composto por 90 indivíduos não asmáticos (sem antecedentes pessoais de dispnéia, sibilância ou outras doenças atópicas) selecionados do Serviço de Pronto-atendimento de Pediatria do Hospital das Clínicas - UFPE. A cicatriz de BCG foi medida em seus diâmetros transverso e longitudinal e obtida uma média. O teste tuberculínico foi realizado pela técnica de Mantoux, com leitura após 72 horas. Os resultados demonstraram que asmáticos apresentam um risco 3,2 vezes maior de ter um diâmetro de cicatriz < 5mm do que não asmáticos (IC 95% = 1,40-7,63; p < 0,01). Entretanto, não houve associação estatisticamente significativa entre asma e reatividade ao teste tuberculínico (OR=1,11; IC95%=0,56-2,20; p = 0,86). Provavelmente, o diâmetro médio da cicatriz de BCG reflete uma deficiência intrínseca na produção de interferongamma, já presente nos primeiros dias de vida em crianças que possam vir a desenvolver asma. É possível que o diâmetro médio da cicatriz de BCG possa predizer o desenvolvimento de asma, porém estudos prospectivos adicionais são necessários para melhor esclarecimento dessa associação
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9676
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Saúde da Criança e do Adolescente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8688_1.pdf327.3 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.