Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9598
Título: Relações raciais, multiculturalismo e ações afirmativas: as cotas na Universidade de Pernambuco
Autor(es): Jatobá de Andrade, Francisco
Palavras-chave: Raça; Classe; Multiculturalismo; Ações Afirmativas
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Jatobá de Andrade, Francisco; Veras Soares, Eliane. Relações raciais, multiculturalismo e ações afirmativas: as cotas na Universidade de Pernambuco. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: No presente trabalho, busco realizar uma contextualização histórica do debate sócio-racial no século XX, os conflitos oriundos entre as categorias raça e classe no Brasil e seu papel formação da desigualdade social brasileira. Para isso, busco referência em autores do pensamento social brasileiro para compreender como se deu o processo de subordinação do conceito raça ao elemento classe, e de que forma o mito da democracia racial fundamenta essa perspectiva. Dessa forma, a dissertação é desenvolvida no intuito de reconstruir o debate acerca das relações raciais e de classe na sociedade brasileira, desde o início do século passado, até o período atual, convergindo na temática sobre ações afirmativas e as cotas nas Universidades. Para desenvolvimento deste trabalho, apresento alguns conceitos sobre multiculturalismo, o debate acerca da focalização e universalização das políticas sociais, situando teoricamente minha perspectiva a respeito das ações afirmativas contemporâneas na referida discussão. Utilizo o processo de elaboração e implementação da cotas na Universidade de Pernambuco (UPE) como exemplo de um microcosmo das tensões raciais e de classe na sociedade brasileira, buscando compreender que argumentos e perspectivas fundamentaram a instituição a optar pela escola pública e não a raça do candidato como critério de seleção. Dessa forma, concluo que a opção pela adoção das cotas sociais configura-se como uma forma de racismo institucional e que, por sua vez, o mito da democracia racial desempenhou papel fundamental na formulação e legitimação do processo de elaboração da política de cotas da UPE
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9598
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Sociologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo9201_1.pdf4,26 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.