Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9565
Title: Mudanças na matéria orgânica (C, N e P) de solos sob agricultura de subsistência
Authors: da Silva Fraga, Vânia
Keywords: Fornecimento de nutrientes; Baixos insumos
Issue Date: 2002
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: da Silva Fraga, Vânia; Hernan Salcedo, Ignacio. Mudanças na matéria orgânica (C, N e P) de solos sob agricultura de subsistência. 2002. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Energéticas e Nucleares, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2002.
Abstract: A produtividade em sistemas agrícolas de subsistência ou de baixos insumos depende do fornecimento de nutrientes provenientes da mineralização da matéria orgânica do solo (MOS). Os poucos resultados disponíveis na literatura têm mostrado declínios na fertilidade de solos sob este sistema de exploração, particularmente nos teores de MOS. Objetivando compreender a natureza e alcance dessa degradação foram selecionados dez locais com áreas contíguas cultivadas e sob vegetação nativa, na mesma posição de encosta, nos estados da Paraíba e Pernambuco. Com base no histórico do uso do solo, observações ïn situ , e concentração do 137Cs, este último utilizado como parâmetro de erosão dos solos, as áreas foram divididas em quatro grupos com distintos níveis de intensidade de uso do solo: Caatinga Preservada (CaatP), Caatinga Raleada (CaatR), Cultivado Preservado (CultP) e Cultivado Degradado (CultD). Na primeira parte do trabalho quantificaram-se os reservatórios orgânicos de C, N e P totais, além das determinações de 137Cs, sob a hipótese de que as variações associadas a mudanças no uso do solo seriam maiores do que a variabilidade dentro dos grupos, possibilitando assim inferências em escala regional. As concentrações de Ct e Nt em CultD foram 50 % menores (P < 0,05) do que as encontradas nos solos sob CaatP. Desta perda de C, 43 % foi atribuída ao processo da erosão e 57 % ao processo de mineralização. A relação Po/Pi foi 1,47 sob a CaatP e decresceu para 0,82 sob CultP e CultD (P < 0,05). O efeito das mudanças no uso do solo foi mais evidente na profundidade de 0-7,5 cm do que na camada 0- 15 cm. Inter-relações entre C e P nas áreas sob caatinga sugeriram que a disponibilidade de P e de água controlam a acumulação de C nesses solos. Na segunda parte do trabalho foram realizados dois experimentos. O primeiro deles constou de uma fase preliminar, exploratória, xiii na qual foram comparados quatro métodos, visando detectar mudanças na qualidade da MOS. Utilizaram-se 80 amostras que maximizavam a variabilidade em Ct, nas quais foram determinadas as seguintes frações: C contido na fração leve da MOS com densidade <1 kg dm- 3 (C-fl), C-CO2 produzido em três dias de incubação (C-min3d); C oxidado com KMnO4 333 mM (C-ox333) e com 16,5 mM (C-ox16). A única fração que não se correlacionou com o C total foi C-fl. As proporções médias de Ct determinadas como C-min3d, C-ox333 e C-ox16 foram 1,5 %, 24 % e 7,2 %, respectivamente. Na segunda fase, selecionou-se o C-ox16 para análise do total das amostras (n=160). O C-ox16 diminuiu de 1,65 em CaatP para 0,70 g kg-1 em CultD (P < 0,05). Entretanto, nessa mesma comparação o declínio em labilidade foi pequeno. Essa labilidade foi definida pela proporção do C-ox16 em relação ao C não oxidado pelo KMnO4 16,5 mM e declinou de 10,3 % para 8,5 % com o aumento na intensidade de uso; embora esse declínio representou uma mudança na qualidade da MOS, não foi estatisticamente significativo. Índices de manejo de carbono (IMC), calculados a partir das mudanças nos teores de Ct e na sua labilidade, em relação ao grupo de CaatP (IMC=100), declinaram para 67 % em CaatR e para 47 % em CultD. Essas diminuições foram mais influenciadas pelas mudanças nos teores de Ct que na sua labilidade. O segundo experimento, em casa de vegetação, visou caracterizar o efeito das perdas de MOS em relação à capacidade de suprimento de nutrientes (N e P), utilizando-se 20 amostras com teores de Ct que variaram entre 6,19 e 21,8 g kg-1. O carbono total correlacionou-se significativamente com o N mineralizado em 60 dias (Nmin60d) (r=0,79***); por sua vez, as variáveis N-min60d e P-Mehlich-1 explicaram 80 % da variação na matéria seca produzida pelo capim buffel (Cenchrus ciliaris). A baixa disponibilidade de P associada às perdas de C e N constatadas nesses solos, um regime hídrico desfavorável além de práticas agrícolas inadequadas, na maioria dos casos, impõe severas restrições à recuperação das áreas degradadas através do pousio tradicional
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9565
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo9020_1.pdf565.9 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.