Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9555
Title: O uso social da informação na rede de desenvolvimento de Santo Amaro
Authors: Cristina Guimarães Oliveira, Maria
Keywords: Política Social;Redes Sociais;Informação Social;Comunicação
Issue Date: 2007
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Cristina Guimarães Oliveira, Maria; Cristina Brito Arcoverde, Ana. O uso social da informação na rede de desenvolvimento de Santo Amaro. 2007. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Abstract: O estudo analisa o uso que os integrantes da Rede de Desenvolvimento de Santo Amaro fazem das informações, como elas se identificam com vistas à própria legitimidade, à participação e à execução de seus projetos cotidianos. Parte da hipótese de que na comunicação, como facilitadora do processo participativo, existem contradições que podem favorecer a mobilização de uns, suas verdades deliberadas e o imobilismo de outros e suas verdades ingenuamente consumidas. Como materialidade ou possibilidade de construção, a informação, presente na discussão do social, exige uma interpretação da realidade que deve estar vinculada à vida e aos conflitos presentes na contemporaneidade; além da percepção de que o pensamento capitalista nas sociedades modernas influencia as relações sociais, econômicas, políticas e culturais. O trabalho discute as probabilidades que a Rede de Desenvolvimento de Santo Amaro pode trazer para esse território, através do programa de Economia Solidária da Prefeitura do Recife, e da adoção da Política Pública de Economia Solidária da SENAES/MTE. Mas, adverte que é preciso enfrentar processos inerentes às organizações, para difundir valores e institucionalizar procedimentos, visando ter e manter uma identidade própria, buscando o exercício permanente da crítica aberta e pública. A pesquisa desenvolvida foi qualitativa, utilizando como técnica a análise de conteúdo, cujas inferências resultaram na expressão dos contextos. Fonte e público estão materializadas através dessa representação e de sua relação com o contexto social. Tentamos provar que as informações, além de uma determinação na totalidade da RDSA são absorvidas mediante um entendimento e nem todos a entendem, dessa maneira não se completa a comunicação. Deixamos evidente que essas pessoas não entendem, porque o processo cognitivo é precário, historicamente negado e não desenvolvido nas classes populares, como um recurso necessário para o enfrentamento da realidade. O fortalecimento dos processos de comunicação entre os integrantes da RDSA pode transpor a ética de interesses individuais, para a ética do coletivo e corroborar uma cultura de participação responsável e crítica. Especialmente a educação negada ou superficial, na trajetória política dessa comunidade, ocasionou o acúmulo de necessidades. Para a Política Pública de Economia Solidária, que busca como estratégia produzir trabalho e renda e tem potencial para a inclusão social, sua sustentabilidade exigirá o investimento na educação popular, além da geração e comunicação de informações apropriadas a cada realidade
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9555
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8284_1.pdf3.35 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.