Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/955
Title: Etnobotânica nordestina: plantas medicinais da comunidade Muribeca ( Jaboatão dos Guararapes PE, Brasil)
Authors: Lopes de Oliveira, Gisele
Keywords: Etnobotânica;Plantas medicinais;Plantas tóxicas;Comunidade urbana
Issue Date: 2007
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Lopes de Oliveira, Gisele; de Holanda Cavalcanti Andrade, Laise. Etnobotânica nordestina: plantas medicinais da comunidade Muribeca ( Jaboatão dos Guararapes PE, Brasil). 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Abstract: Na comunidade Muribeca, localizada na periferia de Jaboatão dos Guararapes-PE, efetuou-se um estudo sobre o conhecimento tradicional junto a dois grupos conhecedores de plantas medicinais, seis moradoras que possuem treinamento sobre o uso e manipulação das plantas e 20 moradores, sem treinamento, indicados através da técnica Bola de Neve. Durante 10 meses foram realizadas entrevistas semi-estruturadas e conversas informais junto às seis mulheres que compõem o Centro de Saúde Alternativa de Muribeca (CESAM), importante ponto de apoio à saúde primária da população local, com tratamento de doenças a partir de plantas, e com os 20 moradores da comunidade. São cultivadas no CESAM 44 espécies medicinais, distribuídas em 29 famílias, destacando-se Lamiaceae (8 spp.) e Asteraceae (6 spp.). Dezenove espécies são manipuladas e comercializadas como fitoterápicos. As plantas citadas na maioria (25) são originárias da América Tropical ou América do Sul e apenas 12 são nativas do Brasil. Os usos mais relatados estão relacionados aos sistemas respiratório, gastrintestinal e nervoso. Petiveria alliacea L. (2,0) e Ocimum selloi Benth. (1,6) apresentaram os maiores valores de Importância Relativa. Dez espécies foram indicadas como tóxicas se não usadas corretamente; destas, Xanthosoma sagittifolium Schoot (Araceae) e Laportea aestuans (L.) Chew. (Urticaceae), utilizadas na prevenção e tratamento de doenças dos ossos, como a osteoporose, foram selecionadas para analisar a concentração de cálcio livre (Ca++), a fim de confirmar a indicação popular. As entrevistadas relataram as formas de manipulação necessárias para o uso das duas espécies como medicinais, além de ensinarem como manipulá-las para evitar efeitos indesejáveis. As folhas de X. sagittifolium e L. aestuans apresentaram quantidade significante de Ca++ na forma aproveitável pelo organismo humano. No grupo das seis entrevistadas, um total de 70 espécies botânicas foram citadas e as que apresentaram os maiores valores de Importância Relativa (IR) foram Petiveria alliacea L. (2,0) seguida por Ocimum selloi Benth. (1,6); os sistemas corporais mais indicados, através do fator consenso do informante (FCI), foram doenças infecciosas (1,0), doenças das glândulas endócrinas, da nutrição e metabolismo (0,9) e doenças do sistema osteomuscular e tecido conjuntivo (0,89). No grupo dos 20 entrevistados, um total de 56 espécies botânicas foram citadas. As espécies com os maiores valores de Importância Relativa (IR) foram Cymbopogon citratus (DC) Stapf (2,0), Lippia alba (Mill.) N.E.Br (2,0) e Mentha x villosa Huds. (1,8), e os valores mais altos para o FCI foram observados para doenças parasitárias (1,0), transtornos do sistema nervoso (0,79) e transtornos do sistema gastrintestinal (0,72)
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/955
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4854_1.pdf798.63 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.