Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9531
Título: Precarização e intensificação do trabalho na atenção à saúde bucal: um estudo com cirurgiões-dentistas dos centros de especialidades odontológicas
Autor(es): OLIVEIRA, Raquel Santos de
Palavras-chave: Saúde bucal;Trabalho em saúde;Flexibilização;Precarização;Intensificação
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Santos de Oliveira, Raquel; Maria de Mendonça de Morais, Heloísa. Precarização e intensificação do trabalho na atenção à saúde bucal: um estudo com cirurgiões-dentistas dos centros de especialidades odontológicas. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: Introdução: Sob a égide do paradigma neoliberal, alicerçado no processo de desregulamentação dos mercados de capitais e do trabalho e em medidas de ajuste com cortes no financiamento das políticas sociais, a sociedade contemporânea vivencia a desconstrução do universo laboral. No Brasil, no cenário da Reforma do Estado foram implantadas modalidades contratuais baseadas na flexibilização do trabalho, o que conduziu a uma situação crescente de vínculos precários no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), inclusive na Política Nacional de Saúde Bucal (PNSB). Objetivo: Investigar os fenômenos da precarização e da intensificação do trabalho dos cirurgiões-dentistas trabalhadores dos Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs)/SUS e a possibilidade de essas condições interferirem no modo como desenvolvem suas práticas profissionais no âmbito da atenção à saúde bucal. Metodologia: Estudo descritivo e exploratório de natureza qualitativa. O material empírico foi obtido por meio de entrevistas semi-estruturadas, resguardando-se um espaço para o relato livre dos informantes, sendo utilizada a abordagem dialética para a análise dos dados. O estudo de campo foi realizado nos CEOs localizados nos municípios da Região Metropolitana do Recife. Resultados: Dos 118 cirurgiõesdentistas alocados nos 13 CEOs investigados, mais da metade possuíam vínculos temporários com os respectivos municípios. A precarização está presente nos serviços municipais de saúde bucal e a intensificação é um fato do cotidiano dos entrevistados constituindo-se, ambos, problemas sociais relevantes. Conclusões: Vínculos instáveis, parcos salários, insatisfação profissional, descompromisso com a assistência, má qualidade da prestação dos serviços, são fenômenos reais encontrados nos CEOs, resultando em evidentes prejuízos para a sociedade e para os trabalhadores. A esse quadro não fica imune, decerto, o desenvolvimento da PNSB
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9531
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Saúde Coletiva

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo938_1.pdf913,04 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.