Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9512
Título: Avaliação dos equipamentos de ultrassonografia da região metropolitana do Recife
Autor(es): Guedes Pessôa, Anderson
Palavras-chave: Ultrassonografia; Controle de Qualidade.
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Guedes Pessôa, Anderson; Jamil Khoury, Helen. Avaliação dos equipamentos de ultrassonografia da região metropolitana do Recife. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Energéticas e Nucleares, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: O uso da ultrassonografia na área médica vem crescendo nos últimos anos uma vez que esta técnica radiográfica tem excelente relação de custo/benefício e é considerada segura, pois não utiliza radiações ionizantes. Por esta razão, os programas de garantia da qualidade, que envolvem a avaliação dos equipamentos, não têm sido muito difundidos no meio médico brasileiro. É objetivo deste trabalho é avaliar os equipamentos de ultrassonografia utilizados na região metropolitana do grande Recife, com base aos requisitos estabelecidos pela Associação Americana de Física Médica (AAPM), uma vez que não há no país um protocolo para estes testes. Neste trabalho foi efetuado o levantamento dos dados dos equipamentos com relação à idade e tipo de transdutor, bem como condições e causas de manutenção.Foram também avaliados os seguintes parâmetros de operação dos equipamentos: uniformidade da imagem, exatidão nos valores das distâncias vertical e horizontal, zona morta e resolução axial e lateral. Foram avaliados 30 equipamentos, sendo 12 de instituições públicas e 18 de instituições privadas. Os resultados obtidos mostraram que a idade média dos equipamentos é em torno de 4 anos, e que a maior parte dos transdutores é de multifrequênciais. Com relação à avaliação dos transdutores quanto aos parâmetros de qualidade verificou-se que todos apresentaram pelo menos um parâmetro fora dos limites de tolerância estabelecidos no protocolo da AAPM. Os parâmetros que apresentaram os menores índices de conformidade foram a profundidade de visualização e a zona morta, cujos percentuais de inadequação foram, respectivamente, 63% e 100%. Verificou-se também que tanto os equipamentos novos, com idades menores que 5 anos, como os antigos, com idades entre 5 e 12 anos apresentaram os mesmos percentuais de não conformidade, mostrando que devido à ausência de testes de aceitação no momento da instalação dos equipamentos, muitos equipamentos novos não estão devidamente ajustados
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9512
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2706_1.pdf7,54 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.