Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9480
Título: Josué de Castro, pensamento e ação: a gênese do plano de segurança alimentar
Autor(es): de Fátima dos Santos Silva, Mercês
Palavras-chave: Josué de Castro; Pensamento; Segurança alimentar
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: de Fátima dos Santos Silva, Mercês; Veras Soares, Eliane. Josué de Castro, pensamento e ação: a gênese do plano de segurança alimentar. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: Esta dissertação é uma biografia sociológica que tem como objetivo compreender a obra de Josué de Castro, considerando-a como um manifesto científico-propositivo de sua ação política. Deste modo, busca-se identificar como seu pensamento intelectual-acadêmico o tornou um dos intelectuais políticos mais atuantes na política nacional e internacional a partir do tema-mestre de suas obras: a fome. Temática que se constitui como sua obsessão e que percorre boa parte da sua trajetória de homem da ciência e homem da política. Dada a sua intensa atividade intelectual e política, e à multiplicidade de artigos publicados em diversos idiomas, este estudo toma como principal referência o livro de maior notoriedade, Geografia da Fome (1946). Entende-se que esta obra constitui a primeira tentativa de construção do Plano Político de Segurança Alimentar no Brasil, e que suscitou questões acerca de uma realidade incômoda: a miserabilidade e a exclusão presente na sociedade brasileira. Neste sentido, o presente estudo enfatiza que Josué de Castro é um personagem na teia social de seu tempo, que está indiscutivelmente no palco do pensamento social brasileiro. Entretanto, na hierarquia dos intérpretes brasileiros ele encontra-se no rol dos ―esquecidos‖. Trilhou um caminho inverso dos de sua geração, mas de onde fluiu debates, ações e proposições políticas voltadas para o combate das iniquidades sociais. Assim, dissertar sobre Josué de Castro foi percorrer uma mentalidade de uma época e de um indivíduo que ousou lutar pelo fim da fome. Mais que isso, foi desbravar não apenas sua dimensão intelectual e política, mas encontrar o que há de mais relevante na alma humana: a sensibilidade, a afetividade, sobretudo suas contradições, inconstâncias, alegrias, tristezas, seus eternos duelos entre razão e emoção, vaidade e humildade, amor e ódio, subjetividade e objetividade, próprios de qualquer ser humano, especialmente de quem fez de um tema científico um manifesto político
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9480
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Sociologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo433_1.pdf2,5 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.