Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/947
Title: Efeitos da fragmentação e perda de habitat sobre a brioflora epífita de sub-bosque de floresta atlântica : estudo de caso na estação ecológica Murici, Alagoas, Brasil
Authors: Rosa do Pará Marques de Oliveira, Juliana
Keywords: Fisionomia da vegetação;Efeito de borda;Floresta Atlântica;Briófitas
Issue Date: 2007
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Rosa do Pará Marques de Oliveira, Juliana; Cavalcanti Pôrto, Kátia. Efeitos da fragmentação e perda de habitat sobre a brioflora epífita de sub-bosque de floresta atlântica : estudo de caso na estação ecológica Murici, Alagoas, Brasil. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Abstract: As briófitas constituem-se em um importante componente do estrato epifítico em Florestas Tropicais e têm na Floresta Atlântica um de seus maiores centros de diversidade e endemismo. Este ecossistema, no entanto, está fortemente comprometido pela intensa exploração e fragmentação das suas paisagens naturais. Foi objetivo deste trabalho preencher lacunas de conhecimento em termos da florística e ecologia de briófitas em Floresta Atlântica, particularmente, no estado de Alagoas, que ainda é pobremente inventariado. Uma das propostas principais foi avaliar como as alterações na vegetação associadas fragmentação e ao efeito de borda afetam o grupo. Para isso foram inventariados dez fragmentos na Estação Ecológica Murici, que somam mais de 90% da área florestada desta reserva. Em cada um deles, foram traçados quatro transectos de 100m perpendiculares à margem, nos quais foram marcadas 10 parcelas (25 m²) eqüidistantes. Cada parcela teve mensurado DAP (diâmetro acima do peito) e altura de todos os seus indivíduos. Adicionalmente o grau de abertura do dossel foi determinado através da análise de fotografias hemisféricas. Um forófito por sítio foi selecionado e amostras de briófitas da sua base até 2 m foram coletadas. As briófitas foram identificadas até nível especifico e classificadas quanto ao hábitat de preferência (epífitas de sol, sombra e generalistas) e quanto à sua forma de crescimento. A brioflora foi composta por 106 espécies (56 hepáticas e 50 musgos) distribuídas em 21 famílias, das quais as mais importantes foram Lejeuneaceae, Calymperaceae, Sematophyllaceae, Pilotrichaceae, Fissidentaceae e Jubulaceae. As briófitas mostraram um padrão de distribuição heterogêneo entre os fragmentos, tanto em riqueza quanto em composição floristica. De maneira geral, a diminuição do tamanho do fragmento foi acompanha da perda de espécies e alterações na estrutura da comunidade briofítica. As especialistas de sombra e de forma de crescimento pendente foram mais afetadas pela perda de habitat. Parâmetros da fisionomia da vegetação contribuíram em parte para a explicação da distribuição das briófitas nos fragmentos, onde o grau de abertura do dossel e altura das árvores mostraram influência sobre a riqueza de briófitas, principalmente sobre as epífitas de sombra. O efeito de borda não foi confirmado para os 100m mensurados. Os resultados sugerem que fragmentos com menos de 300 ha podem apresentar-se mais seriamente comprometidos para preservação de briófitas epífitas em longo prazo
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/947
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4852_1.pdf1.29 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.