Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9461
Título: Nodulação de leguminosas da caatinga e características fenotípicas dos rizóbios nativos de solos do semi-árido nordestino
Autor(es): da Silva, Rosilene
Palavras-chave: Rizóbio; Nodulação; Diversidade.
Data do documento: 31-Jan-2010
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: da Silva, Rosilene; Valadares de Sa Barretto Sampaio, Everardo. Nodulação de leguminosas da caatinga e características fenotípicas dos rizóbios nativos de solos do semi-árido nordestino. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Energéticas e Nucleares, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Resumo: As leguminosas constituem uma das mais importantes famílias da caatinga. Uma característica de grande importância ecológica apresentada por algumas espécies desta família é a fixação biológica do nitrogênio (FBN), realizada através da simbiose com bactérias radiculares genericamente denominadas de rizóbios. No presente trabalho, foi avaliada a capacidade de nodulação de leguminosas nativas da caatinga, isolados e caracterizados morfologicamente rizóbios associadas aos nódulos destas leguminosas, determinada a abundância natural de 15N em campo das mesmas e avaliada a diversidade de rizóbios nativos de três fragmentos preservados da caatinga. Amorosa, jurema branca, jurema preta, mulungu, sabiá, unha de gato, angico, canafístula, cumaru, mororó e espinheiro foram cultivados por 120 dias em vasos contendo solos coletados nos municípios de Remígio e Santa Teresinha, na Paraíba, e Serra Talhada, em Pernambuco, para observação da nodulação natural. As leguminosas que se revelaram nodulantes foram: amorosa, angico, jurema branca, jurema preta, mulungu, sabiá e unha de gato. As não nodulantes foram: canafístula, cumaru, espinheiro e mororó. Os resultados de nodulação foram confirmados pelos sinais de 15N. Foram selecionados os vintes maiores nódulos, de cada planta nodulante (exceto angico), que gerou uma coleção de 264 isolados de rizóbios, que foram caracterizados fenotipicamente em meio de cultura YMA (Yeast Mannitol Agar). Com os dados foram construídos uma matriz e um dendrograma, utilizando o algoritmo UPGMA, o Coeficiente de Jaccard e o programa estatístico NTSYS-PC. Foram gerados 36 grupos fenotípicos com 70% de similaridade entre isolados. Índices de diversidades foram usados para avaliar a variabilidade e equabilidade dos rizóbios nas três áreas amostradas e identificar possíveis gradientes de diversidade. Os índices para Serra Talhada, Remígio e Santa Teresinha foram, respectivamente: Shannon-Wiener - 4,39, 3,25 e 3,69; Margalef - 5,85, 3,25 e 4,77; Simpson - 0,06, 0,12 e 0,11; e Pielou - 3,03, 2,57 e 2,71. Os maiores valores de Serra Talhada indicam maior diversidade e representatividade de grupos fenotípicos. Os mesmos índices foram aplicados as seis leguminosas, verificando-se que jurema preta e mulungu apresentaram as maiores 8 diversidades e representatividades de grupos fenotípicos. Por outro lado, unha de gato foi a menos representativa e Sabiá apresentou baixa uniformidade na distribuição dos grupos
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9461
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2694_1.pdf918,29 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.