Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9425
Title: Práticas alimentares em recém-nascidos de muito baixo peso
Authors: Gonçalves Lucena Coutinho, Marlise
Keywords: Recém-nascido de muito baixo peso; Recém-nascido prematuro; Unidade de terapia intensiva neonatal; Alimentação enteral; Alimentação parenteral.
Issue Date: 31-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Gonçalves Lucena Coutinho, Marlise; Wanick Sarinho, Silvia. Práticas alimentares em recém-nascidos de muito baixo peso. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Abstract: Alimentar o recém-nascido de muito baixo peso de modo adequado é fundamental tanto para garantir sua sobrevida, como para melhorar o seu crescimento e desenvolvimento. No entanto, um elevado percentual desses bebês desnutre durante a hospitalização logo nas primeiras semanas de vida. Justifica-se então a importância deste tema, cada vez mais estudado e pesquisado por profissionais da área, com a perspectiva de ajustar as melhores práticas alimentares para otimizar o crescimento extra-uterino dessa população. Objetivos: revisar a literatura a respeito das práticas alimentares em recém-nascidos de muito baixo peso e dos fatores que interferem na restrição do crescimento extra-uterino, além de apresentar, sob a forma de artigo original, pesquisa sobre as práticas alimentares utilizadas em recém-nascidos de muito baixo peso e o peso destes aos 28 dias de vida, de acordo com o uso dessas práticas. Métodos: revisão da literatura baseada em pesquisa bibliográfica nas bases de dados Medline, Scielo, Lilacs e PubMed, utilizando-se os termos ¨recém-nascido prematuro¨, recém-nascido de muito baixo peso , unidade de terapia intensiva neonatal , alimentação enteral , alimentação parenteral , preterm infant , low birth weight infant , neonatal intensive care , enteral feeding e parenteral nutrition , além de pesquisa adicional em bancos de dados de dissertações, teses e livros especializados. O artigo original foi desenvolvido a partir de um estudo descritivo, tipo corte transversal, através da análise de informações nos prontuários de recém-nascidos de muito baixo peso na maternidade do Hospital Agamenon Magalhães, no período de 01/05/2005 a 31/05/2007. Resultados: a literatura revela que práticas alimentares potencialmente melhores, como a nutrição parenteral e enteral precoces, o uso de leite materno e a introdução de suplementos alimentares devem ser priorizados nesta população. Serviços em que foram implantadas estratégias alimentares baseadas em conhecimentos científicos apresentaram melhores resultados em relação ao crescimento extra-uterino dos neonatos. Na pesquisa realizada no Hospital Agamenon Magalhães observou-se que um pequeno número dos neonatos estudados iniciou a nutrição parenteral no primeiro dia de vida. A nutrição enteral foi iniciada nas primeiras 48 horas, em um grande número de bebês, e aproximadamente 90% dos neonatos tiveram alta em aleitamento materno exclusivo. Constatou-se um grande número de bebês com inadequado crescimento aos 28 dias de vida. Algumas práticas nutricionais foram associadas à maior média de peso aos 28 dias de vida, mas sem atingir o percentil 10 de peso aos 28 dias de vida na curva de Fenton. Conclusão: na literatura científica mais atualizada, apesar de ainda haver dúvidas nas estratégias alimentares para o recém-nascido de muito baixo peso, já existem evidências de melhores resultados nutricionais e segurança do seu uso. No Serviço onde foi realizado o estudo, práticas alimentares citadas na literatura como potencialmente melhores ainda não são utilizadas de forma sistemática, de modo a diminuir o percentual de restrição do crescimento extrauterino aos 28 dias de vida
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9425
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Saúde da Criança e do Adolescente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4115_1.pdf1.01 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.