Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9407
Title: A família e o provimento de cuidados à pessoa com transtorno mental no contexto da desinstitucionalização
Authors: Taciana Sarmento Vieira, Galba
Keywords: Provimento de cuidados; Família; Reforma psiquiátrica
Issue Date: 31-Jan-2009
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Taciana Sarmento Vieira, Galba; Salazar Uchôa, Roberta. A família e o provimento de cuidados à pessoa com transtorno mental no contexto da desinstitucionalização. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Abstract: A Reforma Psiquiátrica busca promover um redimensionamento do modelo assistencial de Saúde Mental, através da desinstitucionalização e da reinserção social da pessoa com transtorno mental pautada pela tríade da família, do trabalho e da comunidade.Em consonância com este paradigma, este estudo objetiva conhecer os fatores que concorrem para obstaculizar e/ou facilitar o provimento de cuidados à pessoa com transtorno mental na família após longa permanência em hospital psiquiátrico.Os sujeitos de pesquisa, dois familiares de pessoas com transtorno mental que foram reintegradas ao convívio familiar após longos anos de internação psiquiátrica, são residentes no Distrito Sanitário IV, da cidade do Recife.Foi utilizado como técnica de pesquisa o depoimento pessoal .Os depoimentos foram analisados a partir de três eixos temáticos: a convivência com o familiar com transtorno mental durante a internação no hospital psiquiátrico;o processo de desinstitucionalização; e o retorno ao convívio familiar. No primeiro, destacam-se as percepções que as cuidadoras possuem sobre o hospital psiquiátrico e os cuidados com seus familiares durante o internamento; no segundo, evidencia-se o momento da transição entre o hospital psiquiátrico e o retorno ao lar das pessoas com transtorno mental;e o terceiro trata da convivência familiar, procurando evidenciar questões financeiras e emocionais das famílias com o retorno ao convívio com a pessoa com transtorno mental.O estudo evidencia que a reintegração do familiar com transtorno mental foi realizada sem uma adequada sustentação pela Política de Saúde Mental, sobretudo, porque não foram consideradas as condições materiais e emocionais das famílias para efetivar essa reintegração.Ao mesmo tempo em que as famílias apoiam o retorno ao lar dos membros com transtorno mental, também queixam-se do ônus financeiro e emocional gerado pela volta para casa da pessoa com transtorno mental.Nas duas famílias da amostra da pesquisa são as mulheres que vêm sendo mais comprometidas em sua individualidade e autonomia, quando do exercício da função de cuidar do parente com transtorno mental
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9407
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo330_1.pdf1.94 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.