Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9401
Title: Moral geracional e universal: sentidos do trabalho e dos direitos para os pequenos catadores de mariscos
Authors: Torres, Maria Adriana Da Silva
Keywords: Trabalho Infantil; Moral Geracional; Moral Universal; Cultura do Trabalho; Cultura de Direitos
Issue Date: 31-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Adriana Da Silva Torres, Maria; Parry Scott, Russell. Moral geracional e universal: sentidos do trabalho e dos direitos para os pequenos catadores de mariscos. 2008. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Abstract: Esta tese resulta da confluência de dois campos de interesse: o trabalho infantil no contexto lagunar de Maceió/AL e a política social que propõe erradicá-lo. Objetivou-se analisar a moral geracional constitutiva da cultura do trabalho e a moral universal constitutiva da cultura de direitos em três categorias relacionadas à teoria de Pierre Bourdieu campo, habitus e capital. O estudo questiona os sentidos do trabalho infantil e dessa política que intenciona erradicá-lo. Esse questionamento gerou-se pela observação do olhar de diversos agentes sociais crianças, adolescentes e adultos no contexto das dimensões simbólicas e estruturais relacionadas às análises microssocial e macrossocial. O trabalho de campo foi realizado nos seguintes espaços onde acontece a socialização de crianças e adolescentes catadoras de mariscos na cadeia produtiva do sururu, no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e na escola , por meio de entrevistas, grupos focais e questionários. Os dados coletados mostram que a moral geracional está presente no cotidiano dessas crianças e adolescentes devido à frágil cidadania concedida a eles e às suas famílias. Isto acontece mediante a reprodução das relações de dominação da sociedade capitalista, que, desde tempos longínquos, utiliza o trabalho precário dos filhos das classes populares através de uma hexis corporal correlacionada à história individual ou coletiva de crianças e adolescentes. A análise traz ao debate o processo de demissão do Estado pelas políticas sociais focais e evidencia o desencantamento dos diversos agentes com a cultura de direitos para a infância. Com isso, constatou-se que essa cultura ainda não está objetivada para os que vivem em tempos incertos na orla lagunar de Maceió/AL. Os resultados obtidos indicam que crianças e adolescentes vivem ambiguamente em uma sociedade que lhes exige uma vida útil e produtiva em detrimento das necessidades básicas do desenvolvimento infantil saudável. A pesquisa aponta necessidades de mudanças nas estruturas sociais, bem como nas estruturas internas incorporadas pelos trabalhadores de pouca idade, para modificar as relações de dominação existentes nos campos onde estão inseridos. Assim, evidencia-se a necessidade de investimentos nos capitais destinados ao rompimento das representações ideológicas que defendem a cultura do trabalho infantil na sociedade
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9401
Appears in Collections:Teses de Doutorado - Sociologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4220_1.pdf6.22 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.