Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9390
Title: Circunstâncias clínicas no seguimento de crianças nascidas com muito baixo peso e fatores associados à provisão de cuidados
Authors: Maria Cavalcante Melo, Ana
Keywords: Muito baixo peso ao nascer;Atenção ao prematuro;Seguimento do prematuro;Condições socioeconômicas familiares;Crescimento.
Issue Date: 31-Jan-2009
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Maria Cavalcante Melo, Ana; de Carvalho Lima, Marilia. Circunstâncias clínicas no seguimento de crianças nascidas com muito baixo peso e fatores associados à provisão de cuidados. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Abstract: A elevação da taxa de sobrevida das crianças com muito baixo peso ao nascer (CMBPN) tem exigido uma maior organização e articulação dos diferentes níveis de assistência à saúde, identificação dos bebês mais vulneráveis, detecção de circunstâncias clínicas peculiares pelos profissionais de saúde, e a aplicação de diretrizes que assegurem a atenção em todas as oportunidades de contato com o sistema de saúde local. No Nordeste brasileiro, especialmente em Alagoas, onde há maior carência de bases materiais que servem como indicadores de condição social e elevada taxa de mortalidade infantil, são necessários estudos para averiguar como os prematuros são acompanhados após a alta hospitalar, devido ao maior risco de adoecer e morrer neste grupo de crianças. Os objetivos foram: verificar as práticas e orientações prestadas às mães na unidade neonatal, os recursos mínimos fornecidos nessa unidade para viabilizar o seguimento ambulatorial e a frequência de realização de práticas de assistência após a alta hospitalar, além de identificar os fatores associados a essa assistência. Este é um estudo descritivo, com componente analítico, realizado com 53 crianças e suas respectivas mães. As mães foram entrevistadas no domicílio em relação às condições socioeconômicas e demográficas familiares e quanto à assistência à saúde de suas crianças. A atenção à saúde foi avaliada com a elaboração de um índice de atenção à saúde (IAS) utilizando 16 variáveis relacionadas ao perfil da assistência. Um pior IAS (≤ 7 pontos) foi observado em 17% das CMBPN. Verificou-se uma associação significante de pior assistência com mães pertencentes a estratos de renda familiar per capita e de escolaridade mais baixos, com menor número de consultas de pré-natal e maior número de filhos, que não amamentavam na época da entrevista, e entre as crianças com um maior tempo de permanência na unidade neonatal. Conclui-se que o acompanhamento da saúde das CMBPN foi considerado precário, predispondo-as a uma maior vulnerabilidade e risco de morrer, o que deve ser considerado nas políticas de saúde públicas atuais. Há a necessidade de uma maior incorporação de conhecimentos específicos pelos profissionais de saúde voltados para a assistência dessas crianças, como também ampliar a disponibilidade de recursos para esse fim
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9390
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Saúde da Criança e do Adolescente

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4105_1.pdf905.09 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.