Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/931
Título: Fenologia, biologia reprodutiva e eficiência dos visitantes florais de espécies simpátricas de Inga (Leguminosae-Mimosoideae) em remanescente de floresta atlântica no Nordeste do Brasil
Autor(es): Cruz Neto, Oswaldo
Palavras-chave: Nordeste do Brasil; Floresta Atlântica; Sucesso reprodutivo; Fenologia; Inga
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Cruz Neto, Oswaldo; Valentina Lopes, Ariadna. Fenologia, biologia reprodutiva e eficiência dos visitantes florais de espécies simpátricas de Inga (Leguminosae-Mimosoideae) em remanescente de floresta atlântica no Nordeste do Brasil. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: O gênero Inga Miller (Leguminosae-Mimosoideae) possui cerca de 300 espécies com distribuição neotropical e a maioria das espécies parece ter antese floral noturna e ser polinizada por morcegos (quiropterófilas) ou por esfingídeos (esfingófilas), sendo registradas também visitas por animais diurnos. Entretanto, pouco se sabe a respeito da contribuição destas duas guildas de visitantes florais para o sucesso reprodutivo de espécies de Inga. Com objetivo de investigar questões como esta, o presente trabalho investigou a fenologia e a biologia reprodutiva de espécies de Inga ocorrentes em remanescente da floresta Atlântica nordestina e consiste de dois capítulos. No primeiro foram realizadas observações fenológicas mensais entre outubro 2005 e abril 2007 em cinco espécies de Inga (I. vera, I. striata, I. ingoides, I. edulis e I. thibaudiana; N = 75 indivíduos, ca. 15 por espécie). A maior representatividade na emissão de folhas para a maioria das espécies foi na estação seca, com exceção de I. ingoides, a qual teve grande intensidade desta fenofase no final da estação chuvosa. As florações de I. vera, I. striata e I. ingoides são do tipo sub-anual, a de I. edulis do tipo anual, enquanto que I. thibaudiana apresentou padrão de floração do tipo anual com pausas encravadas. A maior intensidade de floração para as cinco espécies foi no período com menor pluviosidade na região. O padrão de frutificação foi sazonal, com picos antecedentes aos meses mais chuvosos para I. vera, I. striata, I. ingoides e I. edulis, ou no final da estação seca para I. thibaudiana. De um modo geral, as espécies de Inga mostraram um padrão onde folhas novas eram disponíveis em maior intensidade após as florações, flores eram disponíveis na estação seca e frutos no início da chuvosa. No segundo capítulo foi verificado o papel dos visitantes noturnos e diurnos para o sucesso reprodutivo de três espécies de Inga (I. ingoides, I. striata e I. vera), além de investigações sobre aspectos da biologia floral, reprodutiva e da dinâmica na produção de néctar. Os principais resultados obtidos foram que apesar das síndromes de quiropterofilia, esfingídeos foram mais freqüentes que morcegos na visitas às flores. Além dos visitantes noturnos, animais diurnos como beija flores, abelhas e vespas foram registrados visitando flores das espécies. Essas visitas foram muito abundantes no final da tarde, quando as flores disponibilizavam apenas néctar, e no início da manhã seguinte à antese, onde políades e néctar estavam disponíveis. Das três espécies, apenas I. vera respondeu negativamente às extrações sucessivas produzindo menos néctar após cada extração. As três espécies são auto-incompatíveis e apresentam baixa formação de frutos em condições naturais. Os visitantes noturnos mostraram-se mais eficientes que os diurnos, sendo a formação de frutos decorrentes de suas visitas significativamente maior (da ordem de 4 a 7 vezes) do que os frutos oriundos de flores expostas apenas a visitantes diurnos. Além disso, foi observado o dobro do número de sementes em frutos oriundos de flores expostas apenas a visitantes noturnos em comparação com os frutos decorrentes de flores visitadas por animais diurnos
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/931
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Vegetal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4845_1.pdf919,33 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.