Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9282
Título: Relações de gênero e poder no cotidiano das mulheres assentadas no Cabo de Santo Agostinho (PE)
Autor(es): Monteiro Cadengue de Oliveira, Hersília
Palavras-chave: Cabo de Santo Agostinho; Assentamentos; Agricultura Familiar; Cotidiano; Relações Sociais; Gênero
Data do documento: 31-Jan-2008
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Monteiro Cadengue de Oliveira, Hersília; de Nazareth Baudel Wanderley, Maria. Relações de gênero e poder no cotidiano das mulheres assentadas no Cabo de Santo Agostinho (PE). 2008. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Resumo: O presente trabalho, realizado nos assentamentos Arariba de Baixo, Arariba da Pedra e Potozi, no município do Cabo de Santo Agostinho, tem como objeto de estudo as mulheres dos referidos assentamentos, e enfoca a construção das relações sociais entre homens e mulheres nas práticas cotidianas da agricultura familiar nestas áreas. São consideradas, para tanto, as divergências, conflitos e tensões, antagonismos e relações de poder que emergem de tais relações sociais. Procura-se dar visibilidade, a partir do enfoque das agricultoras, ao lugar que elas ocupam no âmbito das unidades domésticas. Abordamos a presença e ação das mulheres, a plenitude de seus papéis, a coerência de seu cotidiano e seus poderes, apresentando um modo de vê-las, além da tradicional visão de simples donas de casa insignificantes, ajudantes dos homens chefes das famílias (sejam eles seus pais, maridos ou filhos), negligenciadas e negligenciáveis, oprimidas e humilhadas, mas como mulheres ativas, resistentes, guardiãs da subsistência, administradoras do orçamento familiar e que têm a capacidade de se rebelar, de utilizar táticas criativas para poderem fazer isso dentro de seu contexto, e que, mesmo quando silenciosas, são combativas, conseguem burlar imposições sociais, ainda que não promovam rupturas. O estudo demonstra que, para as pesquisadas, a relação de complementariedade entre homens e mulheres, maridos e esposas, sem que haja anulação da mulher, ou mesmo de qualquer uma das partes, é o prioritário, tendo em vista que para elas tal situação é que permitiria a implementação do projeto familiar, e conseqüentemente o bem-estar de todos os membros desta
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9282
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Sociologia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo411_1.pdf1,65 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.