Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9261
Título: Os determinantes da atuação dos intelectuais do trabalho no capitalismo contemporâneo
Autor(es): SILVA, Eliana Andrade da
Palavras-chave: Intelectuais; Capitalismo contemporâneo; Transformismo
Data do documento: 31-Jan-2008
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Andrade da Silva, Eliana; Maria Pereira da Silva, Zelia. Os determinantes da atuação dos intelectuais do trabalho no capitalismo contemporâneo. 2008. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Resumo: Este estudo discute os determinantes da atuação dos intelectuais do trabalho no capitalismo contemporaneo, a partir da realidade dos projetos de assentamento de reforma grária do Rio Grande do Norte. O desvendamento deste objeto teve como caminho metodológico a análise das principais transformações que ocorrem no âmbito do Mercado, do Estado e da Sociedade Civil na atualidade. Dessa forma, partimos do pressuposto que as transformações do capital tem forjado determinações para a atuação dos intelectuais do trabalho, de forma que a ordem burguesa madura, tem construído novas formas de assimilação destes intelectuais, através de uma estratégia transformista. Foi-nos evidenciado na pesquisa, que o fenômeno do transformismo se situa no interior dos embates de projetos hegemônicos na sociedade brasileira, e ocorre de forma molecular sobre os intelectuais do trabalho, no conteúdo dos programas de reforma agrária, na precarização do trabalho experimentada pelos intelectuais e na fetichização da parceria Estado/sociedade civil, presente na visão de mundo dos entrevistados. O transformismo como assimilação dos intelectuais do trabalho ganha relevo diante do processo de identificamos na pesquisa como reatualização da modernização conservadora, a qual aponta continuidades e rupturas em relação ao processo que ocorre no meio rural brasileiro a partir de 1964. A ofensiva transformista expressa-se também na tentativa de substituição da função histórica do intelectual do trabalho pela figura do mediador , movimento que reivindica novas formas de atuação para intelectuais do trabalho no contexto contemporâneo. A análise da ampliação do fenômeno da mediação e dos mediadores nos indica em verdade uma forma de assimilação dos intelectuais do trabalho, forjada pelos setores burgueses filiados em uma tradição liberal conservadora, que, desintegrando a idéia de classes sociais e de suas contradições imanentes, objetiva destituir o intelectual do trabalho e capturá-lo para fortalecer a hegemonia dominante
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9261
Aparece na(s) coleção(ções):Teses de Doutorado - Serviço Social

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo294_1.pdf1,76 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.