Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9244
Title: Entre a desqualificação e a resistência : a contrução de identidades entre trabalhadores do mercado de trabalho informal na cidade do Recife
Authors: SANTOS, Breno Bittencourt
Keywords: Trabalho não-qualificado; Mercado de Trabalho Informal; Identidade; Recife
Issue Date: 31-Jan-2010
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Bittencourt Santos, Breno; Carlos Vieira Wanderley, José. Entre a desqualificação e a resistência : a contrução de identidades entre trabalhadores do mercado de trabalho informal na cidade do Recife. 2010. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010.
Abstract: O desemprego afeta a vida dos indivíduos não apenas do ponto de vista material, mas, sobretudo, simbólico, dada a perda de atributos identitários conferidos pelo trabalho. Partindo do pressuposto que a posição profissional constitui parte importante na construção das identidades, esta pesquisa tem como objetivo estudar as construções identitárias de trabalhadores informais na Região Metropolitana do Recife. Busca-se reconstruir as trajetórias profissionais de vendedores ambulantes para analisar a relação entre posições profissionais e a construção de identidades; verificar os tipos identitários que emergem na informalidade; verificar o grau de resistência oferecido pela informalidade à desqualificação; e analisar as projeções dos trabalhadores com relação ao futuro profissional. Com base nas entrevistas realizadas, constatou-se que as práticas informais representam elemento de resistência à desqualificação. Apesar do desprestígio apresentado pelas posições profissionais investigadas, elas permitem o surgimento de tipos identitários de continuidade, isto é, as posições profissionais são aceitas pelos vendedores ambulantes como base de suas construções identitárias. Constatou-se, também, que há relação entre o tempo de participação na informalidade e a capacidade de resistência à desqualificação, de modo que quanto maior o tempo de participação na informalidade maior a resistência à desqualificação, pois os trabalhadores se acostumam com suas posições profissionais
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9244
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Sociologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo393_1.pdf1.24 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.