Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9231
Title: Prevalência e incidência de depressão pós-parto e sua associação com o apoio social
Authors: BARBOSA, Rita de Cassia Acioli
Keywords: Depressão pós-parto; Apoio social; Prevalência
Issue Date: 31-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: de Cassia Acioli Barbosa, Rita; Bernarda Ludermir, Ana. Prevalência e incidência de depressão pós-parto e sua associação com o apoio social. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Abstract: A depressão pós-parto apresenta alta prevalência em muitas populações e acarreta prejuízos para a puérpera e para o desenvolvimento da criança. Entre os fatores relacionados com a DPP encontra-se o baixo apoio social. Objetivou-se neste estudo de coorte prospectivo, estimar a prevalência e incidência de depressão pós-parto e verificar a sua associação com o apoio social. A amostra foi composta por 1.045 puérperas entre 18 e 49 anos de idade, cadastradas no programa de saúde da família do Distrito Sanitário II, na cidade do Recife. Na primeira etapa do estudo foram investigadas, durante a gravidez, variáveis sóciodemográficas, econômicas, antecedentes reprodutivos e psiquiátricos além do Self Report Questionnaire (SRQ-20) que avalia transtornos mentais comuns (TMC). Na segunda etapa do estudo foi aplicada a Postpartum Depression Screening Scale (PDSS) para avaliar a depressão pós-parto. Foi encontrada prevalência de 16.67% e incidência de 5.57%. A análise de regressão múltipla demonstrou associação estatisticamente significante (p<0.05) entre depressão pós-parto e baixo apoio social (RP=2,25) avaliado através da escala de apoio social do Medical Outcomes Study Social Support Survey (MOS-SSS). Foi encontrada também associação entre DPP e escolaridade da puérpera (RP=1,56), situação conjugal (RP=1,48), reação da mãe à gravidez (RP=1,48), antecedentes de transtornos mentais não relacionados à gravidez ou ao puerpério (RP=1,44) ou relacionados à gravidez anterior (RP=1,45) e TMC na última gravidez (RP=3,57). Espera-se que estes dados contribuam para o desenvolvimento de medidas nas políticas de atenção à saúde
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9231
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Saúde Coletiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4156_1.pdf596.11 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.