Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9208
Título: Características dos pacientes que evoluíram para óbito, em oito anos de terapia anti-retroviral potente, no Recife - Brasil
Autor(es): MELO, Ladjane Santos Wolmer de
Palavras-chave: Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (Aids); Sobrevida; Causas de óbito; Terapia anti-retroviral potente
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Santos Wolmer de Melo, Ladjane; Ramos Lacerda de Melo, Heloísa. Características dos pacientes que evoluíram para óbito, em oito anos de terapia anti-retroviral potente, no Recife - Brasil. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saúde do Adulto e do Idoso, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: Após 25 anos de reconhecimento da Aids e uma década do uso de terapia antiretroviral (TARV) altamente potente houve uma mudança significativa na maneira de conduzir os pacientes portadores de HIV/Aids. Embora no mundo a quantidade de pessoas com Aids ainda esteja aumentando, onde há uso da terapia eficaz, o HIV/Aids tornou-se uma doença crônica e com boa sobrevida. As causas de óbito relacionadas diretamente ao HIV/Aids como doenças oportunistas e neoplasias relacionadas ao HIV mantêm-se muito freqüentes porém, em muitos locais do mundo,onde há centros especializados no tratamento da doença, o padrão começa a mudar com o surgimento de mortes por outras causas, como, por exemplo, doença hepática e aumento do número de casos de suicídios. Os fatores preditivos de pior prognóstico, ou seja, que indicam que haverá provável progressão para Aids ou óbito, são marcadores laboratorias, como baixas contagens dos linfócitosTCD4, valores elevados do HIV RNA (carga viral), assim como a adesão irregular ao tratamento ARV, depressão, estar em situação sócio-econômica desfavorável e ter tido como via de exposição ao vírus o uso de drogas injetáveis.Também estão relacionados com pior evolução baixos níveis de hemoglobina e teste positivo persistente para CMV realizado por reação em cadeia de polimerase. Diante da possibilidade de um tratamento efetivo com uso de ARV potente é importante identificar pessoas que, apesar de tratadas, apresentam maiores riscos de progressão da doença e morte, para que um acompanhamento e intervenções adequados sejam adotados para todos os segmentos de pacientes
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9208
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Saúde do Adulto e do Idoso

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8729_1.pdf461,69 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.