Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9207
Title: Até o apagar da velha chama: satisfação sexual entre homens idosos cadastrados no Programa Saúde da Família
Authors: xavier de Lima e Silva, Viviane
Keywords: Saúde da família; Masculinidade; Homens; Envelhecimento; Sexualidade
Issue Date: 31-Jan-2008
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: xavier de Lima e Silva, Viviane; Paula de Oliveira Marques, Ana. Até o apagar da velha chama: satisfação sexual entre homens idosos cadastrados no Programa Saúde da Família. 2008. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.
Abstract: A sexualidade na velhice ainda é um tema pouco explorado, inclusive na prática clínica. Para o PSF, que deve trabalhar com a lógica da prevenção e da promoção da saúde, essa informação é fundamental para o cuidado integral dos cidadãos idosos. O presente trabalho busca abordar aspectos da satisfação sexual entre homens idosos cadastrados no PSF. Mediante entrevista face a face, foram estudados 245 homens de 60 a 95 anos, cadastrados no PSF da microrregião 4.3 do Recife, através de questionário semi-estruturado, anônimo e prétestado. A maior parte dos entrevistados foi composta por pardos (51,8%), católicos (67,2%), aposentados (90,6%), com renda familiar de até dois salários mínimos (71,1%) e média de 3,5 anos de estudo. Quase metade classifica sua saúde como regular. 83,3% residem com uma companheira e a maior parte deles (89,7%) considera este relacionamento como bom ou ótimo. A maioria (73%) afirma permanecer sexualmente ativo, sendo os que têm idade até 70 anos e coabitam com uma companheira os de maior freqüência sexual. Grande parte (87,1%) não utiliza nenhuma forma de proteção contra infecções transmitidas pelo sexo porque confia na parceira (29%), não acha necessário (22%), só tem uma parceira fixa (16%) ou não gosta de preservativos (16%). 18,1% se julgam sexualmente insatisfeitos, 32,7% são indiferentes e 49,1% se consideram satisfeitos. Foi observada associação significativa entre o grau de satisfação dos idosos com sua vida sexual atual e a idade, a saúde auto-percebida, a satisfação com a vida sexual antes dos 60 anos e a freqüência sexual atual. Independente da forma, a sexualidade continua presente na vida dos homens maiores de sessenta anos. Não se pode deixar de mencionar o papel da cultura onde estão imersos os entrevistados, sobre as questões da masculinidade, da velhice e da sexualidade. As equipes de saúde da família parecem não estar preparadas para lidar com esta realidade. A vivência da sexualidade e a interpretação destas experiências por estes homens têm um caráter plural e assim devem ser encaradas pela sociedade
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9207
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Saúde Coletiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo4152_1.pdf638.58 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.