Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9169
Título: Avaliação microbiológica de materiais de camomila (Matricaria recutita L.) irradiados, empregados na produção de chás
Autor(es): Gomes Solidônio, Evelyne
Palavras-chave: Plantas medicinais; Camomila; Sachês; Irradiação; Co-60.
Data do documento: 31-Jan-2009
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Gomes Solidônio, Evelyne; Colaço, Waldeciro. Avaliação microbiológica de materiais de camomila (Matricaria recutita L.) irradiados, empregados na produção de chás. 2009. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Tecnologias Energéticas e Nucleares, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.
Resumo: O tratamento de enfermidades humanas - a partir de plantas medicinais ou seus derivados - é uma prática antiga que se encontra em expansão. A camomila é uma das plantas mais conhecidas e mais estudadas. O acondicionamento de plantas medicinais em saquinhos de papel representa uma das preparações mais utilizadas. Apesar do mercado para produtos naturais ser promissor, e sua demanda ser crescente, a falta de qualidade, desde a matériaprima ao produto acabado, é um dos problemas frequentes. O pó em sachês, por ser um produto seco, possui limitações à esterilização, sendo a irradiação uma alternativa. Assim, o objetivo deste trabalho foi estabelecer, seguindo protocolo de análise microbiológica, a avaliação da qualidade de sachês de camomila comercializados em Recife, bem como a faixa de dose de radiação gama que possibilite a descontaminação de amostras comerciais do produto. Para a realização das análises, foi feita a seleção das amostras aplicando um critério utilizado pela RDC de número 12, de 2001. A análise foi realizada com duas marcas de chá em sachês, das quais foram escolhidos três lotes e, destes, três caixas. O procedimento experimental foi composto de duas séries de análises microbiológicas, uma com o produto seco e a outra com o produto seco irradiado. No processo de irradiação, as amostras foram transferidas ao irradiador com fonte de Co-60, em placas de Petri, e submetidas às doses de radiação gama de 5, 10 e 15 kGy. A marca um (1) apresentou contaminação em três das nove caixas testadas. A segunda marca revelou contaminação em todos os lotes e em todas as caixas avaliadas. Portanto os chás avaliados apresentaram-se em desacordo com o contido na RDC 12 de 2001, que estabelece Padrões Microbiológicos Sanitários para Alimentos. Nessa regulamentação os valores máximos permitidos são da ordem de 103 unidades formadoras de colônias (UFC), e os encontrados variaram de 104 a 106 UFC. Ainda, no material testado foram detectados, isolados e identificados: Staphylococcus aureus, Staphylococcus coagulase negativa, Bacillus spp., Actimonicetes, Pantoea aglomerans, Enterobacter cloacae, Serratia ficaria e Buttiauxella noackiae. A dose de 5 kGy não eliminou totalmente os microrganismos contaminantes, mas essa contaminação foi diminuída de forma substancial. Nas doses de 10 kGy e 15 kGy não houve crescimento de colônias. Essas doses são consideradas totalmente eficazes para eliminar microrganismos encontrados em material semelhante ao analisado. Conclui-se que o material analisado possui alto nível de contaminação, o que, além de revelar falta de cuidados em todas as etapas do processamento desse material, demonstra a irresponsabilidade com a comercialização dos produtos. A irradiação com raios gama do Co-60, nas doses de 10 kGy e 15 kGy, mostrou-se um método eficaz para a descontaminação deste tipo de material
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9169
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Tecnologias Energéticas e Nucleares

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2657_1.pdf793,3 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.