Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/916
Título: Identificacao de serpentes coletadas no estado de Pernambuco
Autor(es): SILVA, Marliete Maria Soares da
Palavras-chave: Peçonha; Bothrops eythromelas
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Maria Soares da Silva, Marliete; Camargo Guarnieri, Míriam. Identificacao de serpentes coletadas no estado de Pernambuco. 2003. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2003.
Resumo: A variabilidade intraespecífica presente nas peçonhas de serpentes pode causar implicações na sintomatologia dos envenenamentos e nas pesquisas com toxinas desses animais. O presente estudo identificou a variabilidade em 52 amostras de peçonha de B. erythromelas, relacionando-a ao sexo, origem geográfica, desenvolvimento ontogenético e variação individual das serpentes. Para tanto, foram determinadas a dosagem proteica, a distribuição de proteínas por eletroforese em gel de poliacrilamida sob condições redutoras, as atividades coagulante sobre o plasma, proteolítica sobre azocaseína e fosfolipásica utilizando clara de ovo como substrato. Os resultados obtidos não mostraram diferenças significativas nas amostras de peçonha de B. erythromelas provenientes de machos e fêmeas (Achova). A variabilidade das atividades proteolítica (p=0,004) e coagulante (p=0,02) foi dependente do desenvolvimento ontogenético, observando em ambos os casos relação inversa ao tamanho dos animais. O conteúdo proteico (p=0,01) e a atividade fosfolipásica (p=0,04) foram significativamente maiores nas amostras de peçonha de serpentes originárias do estado da Bahia quando comparadas às de Pernambuco. A variação individual foi observada no padrão eletroforético das proteínas, conteúdo proteico e atividades fosfolipásica e coagulante. Diante do exposto, concluímos que, dentre os parâmetros testados, o principal fator de variabilidade da peçonha de B. erythromelas é de origem genética, porém o desenvolvimento ontogenético e a origem geográfica também são fatores de variabilidade que devem ser levados em consideração no momento do tratamento ofídico e pesquisas com toxinas dessa espécie
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/916
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia Animal

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo1952_1.pdf425,79 kBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.