Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9141
Title: Fatores associados ao desconhecimento do status sorológico para o HIV em gestantes
Authors: da Silva Noqueira Carvalho, Juliana
Keywords: cuidado pré-natal;sorodiagnóstico do HIV;Prevenção & controle;Transmissão vertical de doença infecciosa
Issue Date: 31-Jan-2011
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: da Silva Noqueira Carvalho, Juliana; Souza da Cunha, Sérgio. Fatores associados ao desconhecimento do status sorológico para o HIV em gestantes. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Abstract: Este trabalho teve como objetivo estimar a prevalência de mulheres que chegam ao trabalho de parto sem o conhecimento do resultado da sorologia para o HIV do pré-natal e conhecer os fatores associados a este desconhecimento. Trata-se de um estudo de corte transversal, realizado em três maternidades públicas da região metropolitana do Recife. A população de estudo foi composta de 528 puérperas, divididas por amostra estratificada entre as três maternidades. Os dados foram obtidos através de entrevistas face a face com questionário estruturado e por consulta a documentos como cartão de pré-natal, laudos de exames e prontuários no período de junho a setembro de 2010. Para o cálculo da medida de prevalência do desfecho, considerou-se como o desconhecimento do resultado da sorologia, a ausência de registro do resultado da sorologia para o HIV do primeiro e/ou terceiro trimestre de gestação no cartão de pré-natal ou não apresentação do laudo do exame na ocasião do internamento para o parto, resultando em uma prevalência de 39,6% de desconhecimento para as três maternidades participantes do estudo. Para medir a associação entre as variáveis preditoras e o desfecho, foi calculada a razão de chances ou odds ratio. Após o cálculo destas medidas, foi verificada associação estatisticamente significante entre as variáveis: (1) ser do estado conjugal não unida , com valor de p = 0,034, OR = 1,61, IC 95% (1,01 2,58), (2) usar método contraceptivo hormonal ao engravidar, com valor de p = 0,039, OR = 1,63, IC 95% (1,05 2,51) e (3) iniciar o pré-natal no 2º ou 3º trimestre de gravidez, com valor de p = 0,015, OR = 1,62, IC 95% (1,08 2,43). Após ajuste dessas variáveis pelo modelo de regressão logística, permaneceu estatisticamente significante apenas ser do estado conjugal não unida , com valor de p = 0,041, OR = 1,61, IC 95% (1,01 2,55). As demais variáveis permaneceram próximas da significância estatística, porém perderam importância ao ser controlado o efeito de confundimento entre as variáveis. Concluiu-se com este trabalho que existem falhas no que se diz respeito ao papel do serviço de saúde, quando capta tardiamente as gestantes para o início do pré-natal, dificultando a realização e o recebimento de exames importantes; e quando não registra adequadamente os resultados dos exames realizados durante a assistência pré-natal no cartão, bem como foram identificados fatores que estãoassociados ao perfil da mulher entrevistada, como ser do estado conjugal não unida e não estar pretendendo engravidar e usando método contraceptivo ao saber da última gravidez, fato que poder ter retardado a aceitação da gravidez e o início do pré-natal
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9141
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Saúde Coletiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo3188_1.pdf1.35 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.