Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9121
Título: Aplicação da citometria de fluxo no diagnóstico da leishmaniose tegumentar americana
Autor(es): Pereira de Oliveira, Andresa
Palavras-chave: LTA; IgG; Citometria de fluxo; IFI.
Data do documento: 31-Jan-2011
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Pereira de Oliveira, Andresa; Rêgo Alves Pereira, Valéria. Aplicação da citometria de fluxo no diagnóstico da leishmaniose tegumentar americana. 2011. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Inovação Terapêutica, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2011.
Resumo: A LTA é uma infecção parasitária tendo Leishmania (Viannia) braziliensis) como agente etiológico de maior incidência no Brasil. Em todas as formas clínicas da doença, sabe-se que a resposta imune é dependente de células T. Embora estudos avaliem a resposta humoral na LTA, ainda não está esclarecido o papel de anticorpos específicos na imunidade contra Leishmania. Além disso, o diagnóstico da LTA demonstra dificuldades pois o mesmo é realizado por associações clínicas, epidemiológicas e laboratoriais. Considerando os benefícios da citometria de fluxo, uma nova abordagem utilizada na pesquisa de anticorpos com aplicabilidade superior aos diferentes protocolos de detecção e revelação convencionais, este estudo trouxe uma alternativa através da pesquisa de anticorpos IgG de L(V)braziliensis, aplicável ao diagnóstico da LTA e critério de cura.O objetivo deste estudo foi comparar as técnicas de reação de imunofluorescência indireta (IFI) e citometria de fluxo na avaliação clínica-laboratorial dos pacientes antes e após cura clínica e avaliar a aplicabilidade da citometria de fluxo no monitoramento pós-terapêutico dos pacientes. Soros de 14 pacientes antes do tratamento (AT), 13 pacientes 1 ano após tratamento (PT), 10 pacientes 2 e 5 anos PT foram analisados e os resultados foram expressos em níveis de reatividade de IgG, a partir da porcentagem de parasitos fluorescentes positivos (PPFP). A diluição 1:256 das amostras permitiu diferenciar os indivíduos AT e PT. A análise comparativa da IFI e da citometria de fluxo pela curva ROC (Receiver Operating Characteristic Curve) demonstrou, respectivamente, ASC (área sob a curva) =0,78 (IC95%= 0,64-0,89) e ASC=0,90 (IC95%= 0,75-0.95), demonstrando elevada acurácia do teste de citometria de fluxo. Nossos dados demonstram que 20% foi o melhor ponto de corte identificado pela curva ROC para o ensaio de citometria de fluxo. Este ensaio apresentou sensibilidade de 86% e especificidade de 77%, enquanto a IFI apresentou sensibilidade de 71% e especificidade de 69%. O monitoramento pós terapêutico através da análise comparativa dos índices de desempenho das técnicas em 1, 2 e 5 anos PT, revelou melhor desempenho da citometria de fuxo em relação a IFI. Portanto, a citometria de fluxo demonstrou ser uma alternativa diagnóstica aplicada ao estudo da LTA e que as informações obtidas nesse estudo abrem perspectivas para o monitoramento de cura pós- terapêutica da LTA
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9121
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Inovação Terapêutica

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo2928_1.pdf1,61 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.