Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9012
Title: Sujidades em polpas de frutas congeladas produzidas em Petrolina PE e Juazeiro - BA
Authors: RAMOS, Marta Eugênia Cavalcanti
Keywords: Matérias estranhas; Microscopia; Polpas de frutas; Qualidade higiênico-sanitária
Issue Date: 2004
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Eugênia Cavalcanti Ramos, Marta; Barbosa Guerra, Nonete. Sujidades em polpas de frutas congeladas produzidas em Petrolina PE e Juazeiro - BA. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Abstract: Considerando a importância da qualidade higiênico-sanitária dos alimentos para a saúde do consumidor e conquista de mercados, foi realizada esta pesquisa com vistas à avaliação de polpas congeladas de acerola, goiaba e manga, produzidas por quatro unidades processadoras (A,B,C e D), instaladas nas cidades de Petrolina-PE e Juazeiro-BA, quanto à presença de matérias estranhas. De cada tipo de polpa, foram coletadas, ao acaso, em três diferentes lotes, cinco amostras. Cada amostra foi analisada pelo método de flutuação utilizando o frasco armadilha de Wildman para isolamento das sujidades. Dentre as categorias detectadas, fragmentos de insetos e outras sujidades (fragmentos de metal, madeira, plástico, tinta, folha, galho; fios; grãos de areia; partículas carbonizadas etc.) foram encontradas em 100% das amostras. Enquanto que insetos inteiros, larvas, ovos e setas de insetos e bárbulas de penas estiveram presentes em menor número nas polpas de acerola, manga e goiaba e os ácaros apenas em acerola. A análise estatística dos resultados evidenciou diferenças significativas entre os tipos de polpas avaliadas quanto à média das sujidades totais, conforme se seguem: 148,7 unidades/100g em polpas de acerola, 110,6 unidades/100g em goiaba e apenas 3,6 unidades/100g em manga. Foi também constatado que as indústrias A e D, em relação à incidência de matérias estranhas nos seus produtos, não apresentaram diferenças (p<0,05) entre si, embora ambas tenham diferido das demais, principalmente da indústria B, cujos níveis de matérias estranhas foram mais elevados, seguidos em ordem decrescente da indústria C. As polpas de goiaba e de manga, processadas pelas indústrias A e D não diferiram quanto à qualidade higiênica, exibindo um padrão de qualidade superior ao de acerola. A polpa de manga foi a que apresentou melhor qualidade higiênica, independentemente da indústria que a produziu. Os resultados obtidos para as polpas analisadas não apresentaram conformidade com a legislação em vigor no Brasil
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/9012
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Nutrição

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8840_1.pdf953.29 kBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.