Skip navigation
Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8961
Title: Biologia reprodutiva do peixe-rei, Elagatis bipinnulata (Quoy & Gaimard, 1825), capturado na zona econômica exclusiva (ZEE) do nordeste do Brasil
Authors: PINHEIRO, Patrícia Barros
Keywords: Biologia reprodutiva; Peixe-Rei; Revizee/NE
Issue Date: 2004
Publisher: Universidade Federal de Pernambuco
Citation: Barros Pinheiro, Patrícia; Hissa Vieira Hazin, Fábio. Biologia reprodutiva do peixe-rei, Elagatis bipinnulata (Quoy & Gaimard, 1825), capturado na zona econômica exclusiva (ZEE) do nordeste do Brasil. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Oceanografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Abstract: O peixe-rei (Elagatis bipinnulata), pertencente à família Carangidae, uma das mais importantes famílias de peixes tropicais marinhos, possui um elevado valor comercial e esportivo. Apresenta distribuição circumtropical em águas marinhas, sendo encontrado, no Oceano Atlântico Oeste, desde o norte de Massachusetts - EUA, até o limite sul da costa nordeste do Brasil. O estudo das características reprodutivas dessa espécie, incluindo a época de reprodução, o tipo de desova, tamanho e idade de primeira maturação sexual, entre outras, é de fundamental importância para garantir a sustentabilidade de sua explotação. O presente trabalho visa a aportar informações sobre a biologia reprodutiva do peixe-rei capturado nos Arquipélagos de Fernando de Noronha (AFN) e São Pedro e São Paulo (ASPSP). No AFN foram analisados 95 gônadas (62 fêmeas e 33 machos), durante o período de abril a novembro de 2001, enquanto que no ASPSP foram analisados 352 indivíduos (201 fêmeas e 151 machos) amostrados entre, julho de 1999 e novembro de 2003. Os exemplares amostrados tiveram o seu comprimento zoológico mensurado, sendo, em seguida, eviscerados para a coleta das gônadas. Em laboratório, as mesmas foram medidas, quanto ao seu comprimento, largura e peso, identificando-se macroscopicamente o sexo. Histologicamente foram identificados cinco estádios de maturação sexual distintos para as fêmeas: imaturo, em maturação, maduro, esvaziado e em repouso. No ASPSP, observouse uma maior freqüência de fêmeas em maturação e madura nos meses de janeiro a maio. No mesmo período foram observados os maiores valores do Índice Gonadal (IG), que variou de 7,65 a 55,00. No AFN, as fêmeas em maturação e maduras ocorreram com maior freqüência nos meses de abril e maio. Os maiores valores de IG também foram observados nesses meses, variando de 5,98 a 30,16. O tamanho de primeira maturação sexual (L50) para as fêmeas no ASPSP, foi estimado em 55,7cm de CZ. Os poucos dados de fêmeas adultas amostradas em Fernando de Noronha impossibilitaram a análise do L50. Para as duas áreas de estudo, identificou-se um tipo de desova total, sincrônica em dois grupos. Nas análises histológicas dos machos amostrados foram observadas as mesmas características, impossibilitando a diferenciação dos estádios de maturação sexual. Observou-se uma grande dispersão no peso das gônadas dos indivíduos que se encontravam no mesmo intervalo de comprimento zoológico, tornando impossível avaliar o tamanho com o qual os mesmos iniciam suas atividades reprodutivas. Da mesma forma que para as fêmeas, o IG dos machos apresentou os maiores valores no período de janeiro a maio, no ASPSP, e nos meses de abril e maio, no AFN. Os resultados obtidos sugerem que o período de desova da espécie ocorre no primeiro semestre do ano
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8961
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado - Oceanografia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arquivo8413_1.pdf2.01 MBAdobe PDFView/Open


This item is protected by original copyright



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.