Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/895
Título: Micoses em imunodeprimidos, atividade proteásica e espectro de ação da iturina - A frente aos agentes etiológicos
Autor(es): Patrícia Cerqueira Macêdo, Danielle
Palavras-chave: Micoses oportunistas; Atividade proteásica; Iturina-A
Data do documento: 2007
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Patrícia Cerqueira Macêdo, Danielle; Pereira Neves, Rejane. Micoses em imunodeprimidos, atividade proteásica e espectro de ação da iturina - A frente aos agentes etiológicos. 2007. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Biologia de Fungos, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007.
Resumo: Pacientes imunodeprimidos são susceptíveis a infecções fúngicas. A patogênese e conseqüência das micoses oportunistas dependem dos fatores de virulência das espécies e da habilidade de sobrepor os sistemas de defesa do hospedeiro e danificar os tecidos. Atividade proteásica contribui para esta patogênese. Novos agentes antifúngicos precisam ser testados para o tratamento das micoses mais resistentes, tais como iturina-A, um peptidolipídio extraído do Bacillus subtilis. O objetivo desta pesquisa foi detectar micoses oportunistas em imunodeprimidos, determinar a atividade proteásica e o perfil antifúngico de iturina-A frente aos agentes etiológicos. Diferentes amostras clínicas foram investigadas incluindo escamas epidérmicas, esputo, fezes, urina, lavado broncoalveolar, sangue e fragmentos de tecidos. Soro de albumina bovina (BSA), caseína e gelatina foram os substratos testados para atividade proteásica. O teste de susceptibilidade foi desenvolvido utilizando-se iturina-A em três concentrações diferentes. Trinta e cinco isolados foram obtidos incluindo as espécies: Candida albicans, C. parapsilosis, C. tropicalis, C. guilliermondii, Trichosporon cutaneum; Paracoccidioides brasiliensis, Fusarium verticilioides, F. solani, Aspergillus fumigatus, Trichophyton rubrum, Microsporum gypseum e Engyodontium album (patógeno emergente). Produção de protease foi demonstrada em vinte e sete isolados com melhores resultados evidenciados em BSA, especialmente com as espécies de Candida. Os isolados de leveduras foram sensíveis a iturina-A apenas na concentração testada mais alta (7,7mg/mL) e o perfil de susceptibilidade dos fungos filamentosos variaram entre as espécies. P. brasiliensis apresentou os melhores resultados, sendo susceptível nas três concentrações testadas
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/895
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Biologia de Fungos

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo4610_1.pdf15,93 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.