Skip navigation
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8910
Título: Influência Hidrológica e Grau de Poluição dos Rios Pirapama e Jaboatão no Estuário da Barra das Jangadas (PE-Brasil): Ciclo Temporal
Autor(es): Esteban Delgado Noriega, Carlos
Palavras-chave: Fluxo de nutrientes; Estuário da Barra das Jangadas - PE
Data do documento: 2004
Editor: Universidade Federal de Pernambuco
Citação: Esteban Delgado Noriega, Carlos; Muniz Pereira da Costa, Katia. Influência Hidrológica e Grau de Poluição dos Rios Pirapama e Jaboatão no Estuário da Barra das Jangadas (PE-Brasil): Ciclo Temporal. 2004. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Oceanografia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2004.
Resumo: O sistema tropical estuarino de Barra das Jangadas (8º14 S e 34º55 W) representa um importante corpo d água da Região Metropolitana do Recife que vem sofrendo uma forte pressão do desenvolvimento urbano e industrial. O objetivo do presente trabalho foi determinar a influência dos rios Jaboatão e Pirapama no estuário de Barra das Jangadas em relação aos parâmetros físicos e químicos, importação e exportação de nutrientes e grau de poluição, detectados em ciclos nictemerais nas duas estações do ano, desde uma maré de sizígia a uma de quadratura. Foram analisados parâmetros climatológicos (pluviometria, evaporação, intensidade e direção dos ventos), hidrológicos (transparência da água, coef. extinção da luz, temperatura, salinidade, pH, oxigênio dissolvido e sua taxa de saturação, demanda bioquímica de oxigênio, sais nutrientes (NHB3B+NHB4B,NOB2PB - P, NOB3PB - P, POB4PB -3 P, SiOB2B)) e físicos (batimetria, intensidade e direção das correntes). Para a análise hidrológica, amostras foram coletadas em uma estação fixa (confluência dos dois rios) durante sete dias (de 3 em 3 horas) no período de janeiro/2001 e julho/2001. Para a determinação do fluxo dos nutrientes foram coletadas amostras (de 3 em 3 horas) em uma seção transversal (3 estações) na confluência dos rios durante 24 horas (julho/2003). Foi realizada uma Análise dos Componentes Principais (ACP), que explicou aproximadamente 70% da variância total quando foram utilizados todos os parâmetros abióticos (nas duas estações do ano e com os estágios de baixa e preamar), mostrando um contraste entre o oxigênio dissolvido e sua taxa de saturação, salinidade, pH e temperatura, com os sais nutrientes. Esta análise indicou principalmente a correlação entre o estágio de baixa-mar e nutrientes, indicativo de poluição de origem doméstica e industrial. De acordo com os resultados hidrológicos a temperatura da água variou pouco sazonalmente (28,18 verão a 26,36 - inverno), com maiores concentrações de sal no verão e sem apresentar estratificação vertical (menores a 5 unidades). Valores de oxigênio dissolvido indicam teores acima mais elevados durante o verão, e menores durante o inverno, sendo classificado tanto como zona supersaturada quanto poluída, respectivamente. A demanda bioquímica de oxigênio apresentou teores baixos durante os dois períodos; o pH manteve-se sempre alcalino, excetuando uma leve diminuição durante o estágio de baixa-mar durante o inverno; os nutrientes inorgânicos dissolvidos apresentaram uma marcada sazonalidade principalmente, NHB4B, NOB2B, POB4B e SiOB2B, com maiores teores durante o inverno no estágio de baixa-mar relacionado à maior influência limnética do período. A relação N:P média variou de 25:1 durante o verão a 8,5:1 durante o inverno. O ACQUABMB, calculado evidenciou uma qualidade da água não aceitável para os estágios de baixa-mar no inverno. As concentrações dos nutrientes para o ano de 2003 mostraram um incremento principalmente da amônia, evidenciando um aumento de concentração de 100% em comparação a estudos realizados a dois anos atrás. Esta diferença pode ser atribuída ao aumento da densidade populacional e industrial na zona ribeirinhas dos rios, bem como ao crescimento da vazão continental entre os dois períodos. O estuário caracterizou-se como um exportador de nutrientes e importador de sal durante o período estudado (24 horas), com velocidades absolutas médias de 0,38 m.sP -1 P e fluxos altos principalmente de silicato (1653,11kg.dP -1 P), amônia (174,81 kg.dP -1 P), e sal (3198,13 kg.sP -1 P). O sistema se comportou como um estuário bem misturado do tipo 1, de acordo com a classificação de Hansen & Rattray (1966)
URI: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/8910
Aparece na(s) coleção(ções):Dissertações de Mestrado - Oceanografia

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
arquivo8365_1.pdf3,71 MBAdobe PDFVer/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.